Governo e Prefeitura inauguram unidade de captação e tratamento de biogás

Considerado o segundo maior do País, o equipamento vai possibilitar a retirada do gás metano da superfície do Aterro. O produto pode ser usado para abastecer veículos, indústrias, comércio e residências.  “Estamos sendo cada vez mais sustentáveis, ou seja, produzindo o que consumimos, além de evitando que gases tóxicos sejam lançados na atmosfera”, ressaltou o governador Camilo Santana (PT)

Considerado o segundo maior do País, o equipamento vai possibilitar a retirada do gás metano da superfície do Aterro. O produto pode ser usado para abastecer veículos, indústrias, comércio e residências.  “Estamos sendo cada vez mais sustentáveis, ou seja, produzindo o que consumimos, além de evitando que gases tóxicos sejam lançados na atmosfera”, ressaltou o governador Camilo Santana (PT)
Considerado o segundo maior do País, o equipamento vai possibilitar a retirada do gás metano da superfície do Aterro. O produto pode ser usado para abastecer veículos, indústrias, comércio e residências.  “Estamos sendo cada vez mais sustentáveis, ou seja, produzindo o que consumimos, além de evitando que gases tóxicos sejam lançados na atmosfera”, ressaltou o governador Camilo Santana (PT) (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará247 - O Governo do Estado e a Prefeitura de Fortaleza inauguraram na manhã desta segunda (11), a primeira etapa da unidade de captação e tratamento do biogás produzido no Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia (ASMOC), na Região Metropolitana de Fortaleza. “Me sinto feliz, estimulado e empolgado em ver esse empreendimento, pois essa é uma iniciativa que dá orgulho ao povo do Ceará. Tratar de saneamento é tratar da saúde pública do nosso Estado. E isso não é diferente quando falamos em tratar dos resíduos sólidos, pois temos de ter um olhar diferenciado, principalmente, quando sabemos do seu valor econômico, gerando renda e oportunidades para as pessoas”, destacou o governador Camilo Santana.

Considerado o segundo maior do País, o equipamento vai possibilitar a retirada do gás metano da superfície do Aterro, produzindo até 150.000 m³ de biometano por dia. O combustível renovável é gerado a partir da decomposição de resíduos orgânicos depositados no Aterro, principal destinação de todo o resíduo sólido recolhido em Fortaleza. O gás é compatível com as especificações do gás natural, pode ser usado para abastecer veículos, indústrias, comércio e residências. Posteriormente, o gás produzido pela estação será distribuído por um gasoduto instalado pela Companhia de Gás do Ceará (Cegás) já em licitação, com o valor do investimento de R$ 22 milhões.

Segundo o governador Camilo Santana, a ação demonstra que o Estado tem valorizado e se responsabilizado tanto com o meio ambiente quanto com o modo como consumimos os nossos resíduos. “Estamos trabalhando para que possamos entregar, ao mesmo tempo que será construído as estações de produção de gás, a construção do gasoduto em paralelo. Portanto, enfatizo o nosso pioneirismo, atrás somente de Jardim Gramacho, em produzir gás através do lixo. Estamos sendo cada vez mais sustentáveis, ou seja, produzindo o que consumimos, além de evitando que gases tóxicos sejam lançados na atmosfera”, ressaltou o chefe do Executivo estadual.

Para a economia, o gás natural produzido pode ser usado como combustível para fornecimento de calor, como matéria-prima em vários setores: químicos, metalúrgico, plástico, cerâmico, farmacêutico, têxtil, na geração de eletricidade e projetos de cogeração. Segundo o presidente da Cegás, Antônio Cambraia, o gás fornecido trará ainda mais renda ao Estado. “A implantação do gasoduto levará 18 meses. Concluídos os trabalhos, o gás natural renovável produzido será inicialmente destinado à empresa Cerbras, com quem a Cegás tem contrato. Após a regulamentação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o gás será injetado na rede de distribuição da Companhia. Outro quesito importante é que nós temos uma inovação em termos de gasoduto. Somos os únicos no Brasil a utilizar o material de Poliamida PAU12, que tem uma capacidade de resistência maior do que os outros materiais", salientou.

Para o prefeito Roberto Cláudio, as novas ações advindas do novo equipamento trará um grande impacto no meio ambiente, gerando renda e economia. “Atualmente, com este novo equipamento de tratamento, o gás natural é liberado para a atmosfera 25 vezes mais puro do que era lançado, anteriormente, como metano puro. O gás produzido por esta plataforma pode ser utilizado pela indústria, transporte e residências, tendo um enorme potencial de ter o uso econômico de combustíveis e poluindo ainda menos o nosso ar. Porém, o grande passo foi a assinatura de um convênio da Prefeitura de Fortaleza, Governo do Estado e a empresa Marquise para a montagem de uma indústria para a gaseificação, com financiamento do Banco do Nordeste e incentivos do Estado”, pontuou.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247