Governo Putin: Sochi quebrou "gelo da desconfiança" sobre a Rússia

As Olimpíadas de Inverno em Sochi conseguiram "quebrar o gelo da desconfiança" que pairava sobre a anfitriã Rússia antes dos jogos, afirmou o vice-primeiro ministro Dmitry Kozak neste sábado, a um dia da cerimônia de encerramento do evento

Russian President Vladimir Putin looks on during his visit to the "Laura" cross country ski and biathlon centre in the resort of Krasnaya Polyana near Sochi January 3, 2014.  REUTERS/Alexei Nikolskiy/RIA Novosti/Kremlin (RUSSIA - Tags: POLITICS SPORT OLYM
Russian President Vladimir Putin looks on during his visit to the "Laura" cross country ski and biathlon centre in the resort of Krasnaya Polyana near Sochi January 3, 2014. REUTERS/Alexei Nikolskiy/RIA Novosti/Kremlin (RUSSIA - Tags: POLITICS SPORT OLYM (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Karolos Grohmann

SOCHI, Rússia (Reuters) - As Olimpíadas de Inverno em Sochi conseguiram "quebrar o gelo da desconfiança" que pairava sobre a anfitriã Rússia antes dos jogos, afirmou o vice-primeiro ministro Dmitry Kozak neste sábado, a um dia da cerimônia de encerramento do evento.

Para ele, toda a tensão antes dos Jogos, como a detenção de ativistas de direitos humanos e opositores do governo e o debate acerca da lei nacional que coibia a propaganda gay, foi por água abaixo durante a competição.

A segurança, que também preocupava o governo, aflito com a possibilidade de militantes islâmicos no Cáucaso Norte atacarem Sochi, acabou não se mostrando um problema. Para o governo Putin, a tranquilidade durante a competição olímpica pode ajudar a melhorar a imagem do país no cenário internacional.

"As caras felizes, o agradável sol do Sochi e o brilho da medalha de ouro olímpica. Tudo isso ajudou a quebrar o gelo da desconfiança que pairava sobre esta nova Rússia", disse Kozak.

"Os Jogos transformaram o país, sua cultura e seu povo em elementos mais assimiláveis, mais claros e compreensíveis para o resto do mundo", afirmou a jornalistas.

Perguntado se mudaria alguma coisa na preparação da Rússia antes dos Jogos, Kozak foi enfático. "Não mudaria absolutamente nada."

Ele também classificou como "artimanhas" dos manifestantes as tentativas de associar a Olimpíada à corrupção e à repressão.

Membros da banda Pussy Riot foram atacados com chicotes pelos cossacos, membros das forças de segurança do país, quando tentavam tocar uma música de protesto em frente a um enorme banner dos Jogos de Sochi.

"No que diz respeito a garantir que a competição esportiva eclipsasse as artimanhas de grupos como o Pussy Riot, acredito que fomos bem-sucedidos", disse Kozak.

"Qualquer tentativa de intimidação e provocação será relegada ao segundo plano, quando temos uma competição esportiva como essa."

Ele ainda garantiu que um dos policiais que atingiu violentamente um membro do grupo acabou preso.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email