Grevistas e prefeitura tentam acordo

Representantes da Prefeitura de Maceió e o Sindicato dos Servidores do Município participam de mais uma audiência de conciliação nesta quarta-feira (10); os sindicatos apresentaram a proposta de aumento de 5% da progressão salarial retroativa de 2014, o que foi rejeitado pelo município; a Prefeitura já pediu a ilegalidade da greve dos servidores, mas a Justiça negou a solicitação, determinando, porém, que os trabalhadores mantenham 50% dos serviços

Representantes da Prefeitura de Maceió e o Sindicato dos Servidores do Município participam de mais uma audiência de conciliação nesta quarta-feira (10); os sindicatos apresentaram a proposta de aumento de 5% da progressão salarial retroativa de 2014, o que foi rejeitado pelo município; a Prefeitura já pediu a ilegalidade da greve dos servidores, mas a Justiça negou a solicitação, determinando, porém, que os trabalhadores mantenham 50% dos serviços
Representantes da Prefeitura de Maceió e o Sindicato dos Servidores do Município participam de mais uma audiência de conciliação nesta quarta-feira (10); os sindicatos apresentaram a proposta de aumento de 5% da progressão salarial retroativa de 2014, o que foi rejeitado pelo município; a Prefeitura já pediu a ilegalidade da greve dos servidores, mas a Justiça negou a solicitação, determinando, porém, que os trabalhadores mantenham 50% dos serviços (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - O município de Maceió reúne-se, na próxima quarta-feira (10), a partir das 10h, com o Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref), para mais uma audiência de conciliação, em razão da deflagração do movimento grevista que atinge todas as secretarias municipais.

A audiência será conduzida pelo desembargador Domingos Araújo Neto, com o objetivo de se buscar um acordo satisfatório para ambas as partes. Além do Sindspref, foram intimados representantes dos sindicatos dos Servidores da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Maceió (Sindsaude), dos Agentes Comunitários de Saúde de Alagoas (Sindacs), e dos Guardas Civis Municipais de Alagoas (Sindguarda), além da Central Única dos Trabalhadores de Alagoas (CUT/AL) e da Federação dos Trabalhadores da Administração e dos Serviços Públicos Municipais do Estado de Alagoas (Fetam/AL).

Na última audiência, realizada no dia 25 de agosto, os sindicatos apresentaram a proposta de pagamento de 5% da progressão salarial retroativa de 2014, o que foi rejeitado pelo município de Maceió, sob argumento de que a aplicação da progressão afronta a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), comprometendo o orçamento municipal.

A Prefeitura de Maceió já pediu a ilegalidade da greve dos servidores, mas a Justiça negou a solicitação, determinando, porém, que os trabalhadores mantenham 50% dos serviços, numa tentativa de minimizar os prejuízos à população.

Com gazetaweb.com e assessoria

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247