Guerra paulistana faz mais dois mortos e nove feridos

Ainda faltam três noites para o ano terminar, e São Paulo segue contando mortos por homicídio como há muito não fazia. Secretaria de Segurança do Estado não fechou os números de assassinatos em dezembro, mas, assim como fez o governador Geraldo Alckmin, já garante que a violência diminuiu após quatro meses de seguidos registros de alta nos homicídios. Que os números desmintam a impressão de que a situação continua a mesma

Guerra paulistana faz mais dois mortos e nove feridos
Guerra paulistana faz mais dois mortos e nove feridos (Foto: Edição 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP247 - A violência em São Paulo fez mais duas vítimas neste fim de ano, mas poderiam ter sido muito mais se os nove feridos nos dois tiroteios registrados na noite desta sexta-feira 28 não tivessem dado sorte. Os dois ataques ocorreram na Vila Penteado, zona norte de São Paulo, e, nos dois casos, os criminosos chegaram em uma moto, executando diversos disparos. Os tiroteios vão encerrando em tom melancólico um ano em que os paulistanos viram as taxas de homicídios crescerem como há muito não ocorria.

No primeiro ataque, ocorrido por volta das 21h, morreu um mecânico de 31 anos -- outras cinco pessoas ficaram feridas. O segundo ataque, que teria sido feito pelo mesmo grupo, ocorreu minutos depois, próximo ao local do primeiro tiroteio, na rua vizinha Nícia Coutinho Patrício. Testemunhas relataram que três homens chegaram ao local em duas motos e dispararam contra um grupo que conversava na rua. Quatro delas ficaram feridas e uma adolescente de 15 anos morreu.

As ocorrências se somam às centenas de homicídios registradas em 2012. O número de casos de homicídios dolosos, aqueles com intenção de matar, na cidade de São Paulo nos primeiros 11 meses do ano foi maior do que o registrado durante todo o ano de 2011. De janeiro a novembro deste ano, ocorreram 1.212 casos, com 1.327 mortes, contra 1.019 casos e 1.069 mortes no mesmo período de 2011 -- em um mesmo registro pode ocorrer mais de uma morte.

Segurança

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) levou alguns meses para admitir que havia algo de errado na segurança pública da cidade (foi fazê-lo apenas em novembro passado), mas, mesmo diante de mais homicídios, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo garante que já é possível dizer que a violência na cidade diminuiu no mês de dezembro na comparação com os últimos meses -- apesar de os dados de dezembro ainda não terem sido fechados.

"Nós estamos verificando nas últimas semanas indicadores melhores, a polícia toda trabalhando e acho que as coisas estão caminhando bem sob o comando seguro do doutor Fernando Grella", comentou Alckmin na semana passada, em referência a seu novo secretário de Segurança.

Em novembro, a capital paulista teve 144 casos de homicídios dolosos, com 170 mortos. Na comparação com novembro de 2011, houve um aumento de 71% -- foram 96 casos e 99 mortes. E novembro foi o quarto mês seguido com registro de alta no índice de homicídio. Outubro foi o mês com o maior número de casos desde janeiro de 2010, quando as estatísticas passaram a ser divulgadas mensalmente pela Secretaria de Segurança -- foram 150 casos, com 176 mortos, neste ano.

Entre janeiro e novembro deste ano, foram registrados 4.306 casos de homicídio no Estado de São Paulo, 13,58% mais que nos mesmos meses de 2011. Além disso, 104 policiais foram assassinados na região neste ano. Que a Secretaria de Segurança de São Paulo esteja certa em sua impressão de que a violência está caindo, ou 2013 não começará nada bem na maior capital do País.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email