Gurgel pede investigação sobre vazamento de grampos de Cachoeira

A pedido do senador Demstenes Torres, procurador-geral da Repblica solicitou ao diretor-geral da Polcia Federal a abertura de inqurito para apurar a divulgao de escutas telefnicas feitas na Operao Monte Carlo

Gurgel pede investigação sobre vazamento de grampos de Cachoeira
Gurgel pede investigação sobre vazamento de grampos de Cachoeira (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Em resposta ao pedido do senador Demóstenes Torres, o procurador-geral da República solicitou ao diretor-geral da Polícia Federal a abertura de inquérito para apurar os vazamentos e a divulgação de escutas telefônicas feitas na Operação Monte Carlo. As defesas do senador, de Carlinhos Cahoeira e dos demais acusados no caso alegam ilegalidade por parte da PF ao manter escutas telefônicas envolvendo parlamentares sem consulta ao Supremo.

Leia na matéria de Débora Santos, do G1:

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu nesta terça-feira (24) ao diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra, a abertura de inquérito para apurar os vazamentos e a divulgação de escutas telefônicas feita pela PF em operações que investigaram esquema de jogo ilegal e levaram à prisão do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

O pedido de investigação foi feito pela defesa do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), flagrado em escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal em conversas com o bicheiro, que está preso desde o dia 29 de fevereiro. As gravações revelaram que Demóstenes defendia interesses de Cachoeira no Congresso e junto ao governo. A investigação que quebrou o sigilo telefônico do bicheiro e de outras pessoas ligadas a ele corre sob sigilo.

O senador responde a inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF). Na semana passada, o ministro do Ricardo Lewandowski, relator do inquérito, negou pedido de liminar feito pela defesa do senador para interroper as investigações sobre o senador, com base nas gravações de diálogos dele com o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Segundo a defesa do senador, houve ilegalidade por parte da PF ao manter escutas telefônicas envolvendo parlamentares sem consulta ao Supremo. Senadores e deputados têm foro privilegiado, ou seja, só podem ser investigados com autorização do STF.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email