Haddad cancela licitação de empresas de ônibus

De acordo com o prefeito de São Paulo, os contratos atuais serão prorrogados até que a "sociedade tenha segurança de que [a nova licitação] vai ser um contrato bom para a cidade"; petista acrescentou que não pode assinar contratos de 15 anos sem participação popular

Haddad cancela licitação de empresas de ônibus
Haddad cancela licitação de empresas de ônibus
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Brasil

São Paulo – O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, anunciou nesta quarta-feira (26) cancelamento do processo de licitação para a contratação de empresas de ônibus, que vão prestar o serviço nos próximos 15 anos. De acordo com o prefeito, os contratos atuais serão prorrogados até que a "sociedade tenha segurança de que [a nova licitação] vai ser um contrato bom para a cidade".

"Eu estou cancelando a licitação por uma razão muito simples. Nós não podemos assinar contratos de 15 anos sem participação popular. O momento que nós estamos exige a participação da sociedade. Eu vou instalar o Conselho de Transporte Público, um conselho municipal, com a participação dos usuários, com a participação do movimento social, junto com os empresários e com o governo", disse o prefeito em entrevista ao vivo ao telejornal SPTV, da Rede Globo.

Segundo Haddad, o conselho poderá abrir as planilhas de custos do transporte público da cidade, "para que as pessoas tenham consciência dos custos que estão sendo enfrentados, com a presença do Ministério Público para que fique tudo em pratos limpos".

A licitação que estava em andamento, e foi cancelada, substituiria os contratos de concessão a empresas de ônibus e de permissão para cooperativas de micro-ônibus, assinado em 2003. De acordo com informações publicadas no site da prefeitura, o valor total dos contratos chega a cerca de R$ 46 bilhões, sendo R$ 35 bilhões para empresas de ônibus pelo período de 15 anos e R$ 11 bilhões para as cooperativas permissionárias por sete anos.

Edição: Carolina Pimentel

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247