Haddad reforça rigor em rede de ensino

Prefeitura anuncia programa Mais Educação São Paulo, com abertura de consulta pública durante um mês. Entre as mudanças, estudante pode ser reprovado a partir de terceiro ano, lição de casa será obrigatória e boletim bimestral divulgado para pais na internet. Em 2011, com o atual modelo, foi verificado que 38% dos alunos chegaram ao 4º ano sem estarem plenamente alfabetizados; prefeito quer melhorar o desempenho dos alunos da rede pública

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Prefitura apresenta nesta quinta (15) o Mais Educação São Paulo, programa batizado em referência ao Ministério da Educação, que visa a reorganização curricular e administrativa da Rede Municipal de Ensino. Os conceitos da reformulação ficarão disponíveis para consulta pública no site do programa até o dia 15 de setembro para receber sugestões da população e passara a valer a partir de 2014.

Entre os principais conceitos do novo plano está a divisão dos nove anos do Ensino Fundamental em três ciclos: Ciclo de Alfabetização (1º ao 3º), Interdisciplinar (4º ao 6º) e Autoral (7º ao 9º). Atualmente, a divisão é de apenas dois períodos, Fundamental I (1º ao 5º) e Fundamental II (6º ao 9º). A medida suaviza a mudança entre os ciclos, já que, ao invés de o aluno passar de uma única professora generalista para uma série de especialistas de um ano para outro, a transição será gradativa dentro dos ciclos.

No modelo atual existe a possibilidade de retenção do aluno por falta de aprendizado apenas nos últimos anos dos dois ciclos (4º e 9º).

O novo programa propõe ainda a retenção não só no final de cada ciclo, 3º, 6º e 9º ano, mas também no 7º e 8º anos caso o aluno não apresente evolução. Em 2011, com o atual modelo, foi verificado que 38% dos alunos chegaram ao 4º ano sem estarem plenamente alfabetizados.

"O objetivo não é aumentar a repetência, porque sabemos que a indústria da repetência é tão perversa quanto a da aprovação automática. Mas é o sentido de o professor e os próprios estudante organizarem a passagem de nove anos de maneira que se tenha clareza do que se quer em cada etapa do processo. Ao final do terceiro ano, a alfabetização plena. No sexto e assim por diante. No sétimo, oitavo e nono anos eles entram nas especialidades", afirma o prefeito Fernando Haddad.

Lições de casa, provas bimestrais e boletins voltam a ser obrigatórios para toda a rede. Os alunos receberão notas de zero a dez, enviadas aos pais, em casa, a cada dois meses. Volta também o sistema de recuperação nas férias.

A meta prevê a inclusão de 100 mil estudantes no modelo até o fim de 2016. (Com informações da assessoria da Prefeitura de S. Paulo)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email