Haddad: se deixarem, Lula será candidato e vencerá

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) afirma que "se deixarem", o ex-presidente Lula "não só vai ser candidato como vai ganhar"; "Isso não tem a menor dúvida. O problema é qual será o desfecho de todas essas operações em curso", pondera; para o petista, as denúncias contra Lula são muito frágeis; "Eu vejo tudo com um grau de fragilidade nessas denúncias completamente insuficientes para condenar quem quer que seja. Não é o Lula, qualquer cidadão. Está falando do Lula hoje, mas a gente pode estar falando de outra pessoa amanhã", comenta; neste sentido, ele defende que "as pessoas do PSDB deviam ter a coragem de repensar a denúncia contra o Lula do mesmo jeito que nós devemos ter a coragem de acusar a fragilidade quando isso recair sobre alguém do PSDB"

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) afirma que "se deixarem", o ex-presidente Lula "não só vai ser candidato como vai ganhar"; "Isso não tem a menor dúvida. O problema é qual será o desfecho de todas essas operações em curso", pondera; para o petista, as denúncias contra Lula são muito frágeis; "Eu vejo tudo com um grau de fragilidade nessas denúncias completamente insuficientes para condenar quem quer que seja. Não é o Lula, qualquer cidadão. Está falando do Lula hoje, mas a gente pode estar falando de outra pessoa amanhã", comenta; neste sentido, ele defende que "as pessoas do PSDB deviam ter a coragem de repensar a denúncia contra o Lula do mesmo jeito que nós devemos ter a coragem de acusar a fragilidade quando isso recair sobre alguém do PSDB"
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) afirma que "se deixarem", o ex-presidente Lula "não só vai ser candidato como vai ganhar"; "Isso não tem a menor dúvida. O problema é qual será o desfecho de todas essas operações em curso", pondera; para o petista, as denúncias contra Lula são muito frágeis; "Eu vejo tudo com um grau de fragilidade nessas denúncias completamente insuficientes para condenar quem quer que seja. Não é o Lula, qualquer cidadão. Está falando do Lula hoje, mas a gente pode estar falando de outra pessoa amanhã", comenta; neste sentido, ele defende que "as pessoas do PSDB deviam ter a coragem de repensar a denúncia contra o Lula do mesmo jeito que nós devemos ter a coragem de acusar a fragilidade quando isso recair sobre alguém do PSDB" (Foto: Valter Lima)

247 - O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), em entrevista ao Nexo, afirma que "se deixarem", o ex-presidente Lula "não só vai ser candidato como vai ganhar". "Isso não tem a menor dúvida. O problema é qual será o desfecho de todas essas operações em curso", ponderou.

Para o petista, que encerra o seu mandato atual no próximo sábado (31), as denúncias contra Lula são muito frágeis. "Olha, eu sou formado em Direito e à distância eu acompanho os depoimentos das testemunhas de acusação, as petições, as denúncias do Ministério Público... eu vejo tudo com um grau de fragilidade nessas denúncias completamente insuficientes para condenar quem quer que seja. Não é o Lula, qualquer cidadão. Está falando do Lula hoje, mas a gente pode estar falando de outra pessoa amanhã", comenta.

Ele defende que "as pessoas do PSDB deviam ter a coragem de repensar a denúncia contra o Lula do mesmo jeito que nós devemos ter a coragem de acusar a fragilidade quando isso recair sobre alguém do PSDB". "Porque a Justiça não pode ter partido", frisa.

Questionado se a Lava Jato é tendenciosa, o petista é cauteloso. "Vamos aguardar os desdobramentos. Tem um caminhão de denúncias agora contra o PMDB e o PSDB. Todos os dirigentes do PSDB estão denunciados. Denunciados não, estão delatados. E aí o que vai acontecer? É o mesmo peso e a mesma medida para todo mundo? Eu tô na expectativa de que seja assim", disse.

A entrevista na íntegra aqui

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247