Heitor denuncia falta de material nos hospitais públicos

Em depoimento na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (1), o deputado Heitor Férrer (PSB) criticou novamente a situação da saúde no Estado e denunciou a falta de insumos básicos para a realização de procedimentos cirúrgicos nas UTIs. “Estamos diante de uma crise que se transformou num caos. E, o que é pior, a banalização desse caos”, disse

Em depoimento na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (1), o deputado Heitor Férrer (PSB) criticou novamente a situação da saúde no Estado e denunciou a falta de insumos básicos para a realização de procedimentos cirúrgicos nas UTIs. “Estamos diante de uma crise que se transformou num caos. E, o que é pior, a banalização desse caos”, disse
Em depoimento na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (1), o deputado Heitor Férrer (PSB) criticou novamente a situação da saúde no Estado e denunciou a falta de insumos básicos para a realização de procedimentos cirúrgicos nas UTIs. “Estamos diante de uma crise que se transformou num caos. E, o que é pior, a banalização desse caos”, disse (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará247 - O deputado Heitor Férrer (PSB) não poupou críticas à situação da saúde pública do estado e denunciou, em depoimento na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (1), a falta de insumos básicos para a realização de procedimentos cirúrgicos nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). “Estamos diante de uma crise que se transformou num caos. E, o que é pior, a banalização desse caos”, criticou. O parlamentar reforçou as críticas em relação ao setor lendo nota, entregue à imprensa pela Sociedade Cearense de Terapia Intensiva, mostrando “o caos nessas unidades”.

Heitor analisou que, quando falta o essencial, “por mais complexa que seja a tecnologia, não funciona. Não tem como fazer uma hemodiálise, algo extremamente técnico, sem o cateter. E está faltando cateter em nossos hospitais, caso do Hospital Geral de Fortaleza.”

O parlamentar relatou ainda que, pela manhã, recebeu whatsApp de um médico do Hospital de Messejana, informando que os médicos cardiopediatras estão paralisando hoje as atividades por falta de pagamento. Conforme o deputado, os profissionais, que são de cooperativas não recebem pagamento há mais de quatro meses. “O Governo não paga as cooperativas e as cooperativas não podem pagar os profissionais médicos. Outro caos na saúde pública do Estado”, disse.

Em aparte, deputado Renato Roseno (Psol) disse que a saúde é uma das maiores preocupações, citando o não fornecimento de medicamentos no Hospital Albert Sabin para pacientes com paralisia cerebral, e no Hospital São José, para tratamento com medicamentos antirretrovirais.  O deputado Danniel Oliveira (PMDB) disse que “as pessoas estão morrendo pela inércia do Governo”. Ele reclamou da suspensão dos procedimentos pela falta de materiais básicos e também de UTIs.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247