Homem que ejaculou em mulher ataca outra vítima e é preso novamente

Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, voltou a ejacular em uma mulher em um ônibus de São Paulo na manhã deste sábado, segundo informações da PM; ele foi detido inicialmente pelos passageiros do ônibus, que chamaram os policiais militares; na última quarta, ele chegou a ser preso em flagrante pelo mesmo ato, mas foi solto após audiência de custódia

Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, voltou a ejacular em uma mulher em um ônibus de São Paulo na manhã deste sábado, segundo informações da PM; ele foi detido inicialmente pelos passageiros do ônibus, que chamaram os policiais militares; na última quarta, ele chegou a ser preso em flagrante pelo mesmo ato, mas foi solto após audiência de custódia
Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, voltou a ejacular em uma mulher em um ônibus de São Paulo na manhã deste sábado, segundo informações da PM; ele foi detido inicialmente pelos passageiros do ônibus, que chamaram os policiais militares; na última quarta, ele chegou a ser preso em flagrante pelo mesmo ato, mas foi solto após audiência de custódia (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O homem que ejaculou no pescoço de uma mulher dentro de um ônibus na capital paulista na última terça-feira 29 voltou a ser preso na manhã deste sábado 2 por praticar a o mesmo ato, segundo a Polícia Militar.

Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, foi detido inicialmente pelos passageiros do ônibus, que passava pela Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, região central da cidade, e em seguida pelos policiais militares, que foram chamados.

Na última quarta-feira 30, ele foi liberado após ter praticado o mesmo ato. Por meio de audiência de custódia, o juiz José Eugênio do Amaral Souza Neto entendeu que não poderia enquadrá-lo pelo crime de estupro, pois não houve ameaça, nem violência.

A decisão causou polêmica e revolta na internet, que comenta o caso até hoje. Diego tem 15 passagens pela polícia por condutas similares. Seu pai chegou a defender sua prisão e o descreveu como violento.

A semana teve ainda um terceiro caso de violência sexual em coletivos. Um agressor passou a mão nos seios de uma moça em outro ônibus, também na região da Avenida Paulista.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247