Homofobia mata professor universitário em Tocantins

Cleides Amorim foi esfaqueado em bar de Tocantinpolis por homem bbado que ofendia gays

Homofobia mata professor universitário em Tocantins
Homofobia mata professor universitário em Tocantins (Foto: DIVULGAÇÃO)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT) Cleides Antonio Amorim, 42, foi assassinado com uma facada em um bar de Tocantinópolis, município que faz divisa com o Maranhão. O crime foi provocado por homofobia: antes de ser esfaqueado, Cleides foi agredido verbalmente por um homem que claramente manifestava ódio a gays. O acusado, Gilberto Afonse de Sousa, estava bêbado e gritou para a mesa onde estava o professor: "nessa mesa só tem viado".

Gilberto fugiu logo após matar Cleides. A Polícia Militar de Tocantinópolis afirma que, após o assassinato, amigos da vítima destruíram a moto de Sousa a pauladas. Os policiais já instalaram barreiras policiais na saída de Tocantinópolis e outras cidades vizinhas para pegar o criminoso.

A Universidade Federal do Tocantins decretou luto oficial por três dias. Em nota, lamentou a morte do professor que coordenava o curso de Ciências Sociais da instituição. O enterro dele está marcado para este sábado, 7, no cemitério municipal de Aparecida de Goiânia.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email