Humberto: Bolsonaro já está trazendo retrocessos

O líder da Oposição a Temer no Senado, Humberto Costa (PT-PE), pediu união dos brasileiros contra as medidas "retrógradas" anunciadas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro e pelo fortalecimento da democracia; “Bolsonaro ainda não assumiu e já está trazendo retrocessos para o povo. Nós precisamos de muita união nesse momento para que possamos nos ajudar”, disse

Humberto: Bolsonaro já está trazendo retrocessos
Humberto: Bolsonaro já está trazendo retrocessos (Foto: Marcos Oliveira - Ag. Senado)

Pernambuco 247 - O líder da Oposição a Temer no Senado, Humberto Costa (PT-PE), pediu união dos brasileiros contra as medidas "retrógradas" anunciadas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro e pelo fortalecimento da democracia. 

“Bolsonaro ainda não assumiu e já está trazendo retrocessos para o povo. Nós precisamos de muita união nesse momento para que possamos nos ajudar. Meu mandato será uma trincheira de resistência e vocês sabem que podem contar sempre comigo, assim como eu pude contar com vocês na minha grande votação aqui no Araripe”, disse ele, o senador mais votado em todos os municípios do Sertão do Araripe, onde participou no sábado (17) de uma plenária na Câmara Municipal de Ouricuri com prefeitos, vereadores e outros líderes da região.

Ao criticar o postura de dar menos apoio ao Mais Médicos congressista, Humberto disse que o presidente eleito “conseguiu acabar com um programa que, só aqui em Pernambuco, respondia pela atenção básica a 125 municípios, beneficiando mais de um milhão de pernambucanos”.

“Muitas cidades, aqui do Araripe, contavam com 70% ou até mais do seu quadro de médicos com profissionais de Cuba. E agora? Vamos ficar sem essa atenção? Será que o presidente eleito sabe disso? É neste aspecto que vamos precisar, mais do que nunca, de união e luta”, alertou.

Em protesto contra Bolsonaro, na semana passada, Cuba decidiu abandonar o programa Mais Médicos, que leva profissionais do país caribenho para outras nações com o objetivo de otimizar o atendimento à população. "O presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, com referências diretas, depreciativas e ameaçadoras à presença de nossos médicos, declarou e reiterou que modificará os termos e condições do Programa Mais Médicos, com desrespeito à Organização Pan-Americana da Saúde e ao acordo desta com Cuba, ao questionar a preparação de nossos médicos e condicionar sua permanência no programa à revalidação do título e como única forma de se contratar individualmente", diz o texto do Ministério da Saúde cubano.

O futuro chefe do Executivo federal já havia dito que iria expulsar os médicos cubanos do Brasil alegando que iria instrumentalizar o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira, conhecido como Revalida.

 

 

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247