Humberto: rombo fiscal comprova que modelo econômico do golpe fracassou

Para o líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), o déficit das conta do governo Michel Temer, que entre janeiro e julho chegou a R$ 76,27 bilhões e que deverá fechar o exercício com um rombo de R$ 159 bilhões, comprova o fracasso da politica econômica do governo Michel Temer; "A única conta que tem de fechar para ele é a da sua salvação. Aos olhos de quem quiser ver, Temer transforma o Congresso num balcão de negócios, gasta o que pode e o que não pode", disse o parlamentar; "É um modelo que estagnou o Brasil e faz ajuste nas costas dos mais pobres, mantendo o privilégio dos mais ricos", completou

Para o líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), o déficit das conta do governo Michel Temer, que entre janeiro e julho chegou a R$ 76,27 bilhões e que deverá fechar o exercício com um rombo de R$ 159 bilhões, comprova o fracasso da politica econômica do governo Michel Temer; "A única conta que tem de fechar para ele é a da sua salvação. Aos olhos de quem quiser ver, Temer transforma o Congresso num balcão de negócios, gasta o que pode e o que não pode", disse o parlamentar; "É um modelo que estagnou o Brasil e faz ajuste nas costas dos mais pobres, mantendo o privilégio dos mais ricos", completou
Para o líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), o déficit das conta do governo Michel Temer, que entre janeiro e julho chegou a R$ 76,27 bilhões e que deverá fechar o exercício com um rombo de R$ 159 bilhões, comprova o fracasso da politica econômica do governo Michel Temer; "A única conta que tem de fechar para ele é a da sua salvação. Aos olhos de quem quiser ver, Temer transforma o Congresso num balcão de negócios, gasta o que pode e o que não pode", disse o parlamentar; "É um modelo que estagnou o Brasil e faz ajuste nas costas dos mais pobres, mantendo o privilégio dos mais ricos", completou (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Às vésperas da votação da nova meta fiscal no Congresso prevendo um déficit bilionário nas contas públicas e diante da liberação de R$ 15 bilhões em programas e emendas para parlamentares da base que votaram pelo engavetamento das investigações contra Michel Temer (PMDB), o governo fechou o mês de julho com o pior rombo em 21 anos. Segundo dados da Secretaria de Tesouro Nacional, o déficit primário foi de R$ 20,15 bilhões.

No balanço do primeiro semestre do ano, o governo Temer também bate recorde. Entre janeiro e julho deste ano, as contas governamentais tiveram um rombo de R$ 76,27 bilhões. O resultado também é o pior dos últimos 21 anos. Os números mostram que os gastos da gestão de Michel Temer superaram, em muito, aquilo que foi arrecadado, mesmo depois do aumento de impostos e do combustível.

Para o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), os dados mostram o descaso total de Temer com a economia nacional. "A única conta que tem de fechar para ele é a da sua salvação. Aos olhos de quem quiser ver, Temer transforma o Congresso num balcão de negócios, gasta o que pode e o que não pode. Agora, quer cobrar essa contra liquidando o patrimônio nacional, acabando com as empresas públicas e loteando a Amazônia", disse o senador.

Para Humberto, o modelo econômico proposto por Temer fracassou. "É um modelo que estagnou o Brasil e faz ajuste nas costas dos mais pobres, mantendo o privilégio dos mais ricos. A verdade é que a mola que move este país é a dos trabalhadores. São eles que movimentam a economia. Foi nisso que Lula investiu e fez o Brasil se tornar a 6ª maior economia do mundo. Enquanto não mudar essa lógica perversa dos que hoje comandam esse governo nefasto, a economia vai seguir patinando", avaliou Humberto.

*Com informações da Assessoria de Imprensa

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247