CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Ídolo do Palmeiras, Ademir da Guia completa 70 anos

Divino quer marcar gol de pnalti como presente de aniversrio e contrato idntico ao do ex-goleiro Marcos

Ídolo do Palmeiras, Ademir da Guia completa 70 anos (Foto: Agif/Folhapress)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Cassius Oliveira _247- Um dos maiores ídolos da história do Palmeiras, Ademir da Guia, o Divino, completa 70 anos nesta terça-feira, 3. E o principal jogador dos anos dourados da Academia, que encantava brasileiro nos anos 60 e 70, quer de presente de aniversário um gol de pênalti pela equipe master do Verdão e um contrato de marketing com o clube, parecido com do ex-goleiro Marcos. “Quero marcar um gol por causa do meu aniversário. Acho que será de pênalti, viu? O juiz é palmeirense. Vou conversar com ele antes da partida, e deixo tudo acertado para eu bater”, brincou. “O problema é o goleiro, que pode ser palmeirense também, mas vai querer defender e... Bom, eu já aviso para o juiz que o goleiro vai se adiantar. Eu represento o Palmeiras bastante, mas não recebo nada. A gente poderia conversar. Se eles me chamarem...”.

O Divino foi o jogador que mais vestiu a camisa da equipe do Palestra Itália. Foram 901 jogos disputados e 11 títulos conquistados em 16 anos de clube. Na Adademia de Futebol do Palmeiras, ele conquistou conquistou cinco títulos brasileiros, cinco paulistas e um Rio-São Paulo. Mas não foram estes números que o transformaram em um gênio da bola e ídolo do clube. O meia era um jogador completo, dominava bem a bola tanto com a perna esquerda como com a direita, tinha a qualidade de chutar forte ou colocado, cabeceava com precisão e tinha uma técnica apurada que impressionava os críticos da época, embora o craque dividisse as atenções com nada menos que o Santos de Pelé.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Apesar de todas suas virtudes, Ademir da Guia não foi muito lembrado pela seleção brasileira. Em toda a carreira, ele foi convocado 14 vezes e disputou apenas 12 partidas com a amarelinha. O Divino esteve presente na Copa do Mundo de 1974, na Alemanha, mas jogou apenas uma partida, quando a seleção já estava eliminada do torneio. Apesar das poucas oportunidades com a camisa canarinho, Ademir da Guia se considera um jogador realizado. “Ao longo da minha carreira, conquistei muito mais do que sonhei quando comecei a jogar. Ganhei vários títulos e cheguei à Seleção Brasileira. Sou um cara realizado e muito agradecido por chegar aos 70 anos e ainda receber o carinho dos torcedores do Palmeiras”.

Família

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Desde pequeno, o Divino é cercado de craques. O pai de Ademir foi o lendário Domingos da Guia, um dos maiores zagueiros da história do Brasil, ídolo do Flamengo e da Seleção Brasileira. Já seu tio Ladislau da Guia, o ‘Tijolo Quente’, é o maior artilheiro da história do Bangu, com 215 gols. Ademir da Guia é um dos três ídolos do Palmeiras homenagiados com um busto na sede do clube – os outros são Junqueira, zagueiro dos anos 30 e 40, e Waldemar Fiúme, craque dos anos 40 e 50.

Confira o vídeo com as melhores jogadas do craque: 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO