Imbassahy nega acordo com ACM Neto

Deputado federal Antônio Imbassahy (PSDB) jantou com candidato democrata ACM Neto, mas garante que ainda está analisando as propostas dos prefeituráveis através da propaganda eleitoral; impasse para apoio seria ligação de Neto com prefeito João Henrique (PP)

Imbassahy nega acordo com ACM Neto
Imbassahy nega acordo com ACM Neto (Foto: Divulgação)

Bahia 247 com Tribuna da Bahia

Afastado da atual cena eleitoral da capital baiana, o deputado federal Antonio Imbassahy, maior liderança do PSDB em Salvador, onde já exerceu o mandato de prefeito por duas vezes voltou a ocupar os holofotes da campanha, nessa terça-feira (21/8).

Um encontro com o colega de Câmara Federal e candidato a prefeito, ACM Neto (DEM), durante o jantar de adesão ao candidato a vereador Paulo Câmara (PSDB), na Bahia Marina com direito a muitas conversas reacendeu a tese de uma possível aproximação política entre o tucano e o democrata com vistas às eleições de 7 de outubro.

Nos bastidores o clima chamou a atenção e houve quem apostasse que a partir de agora há possibilidade de um possível entendimento, com chances de anúncio de apoio a Neto.

Mas, há quem diga também que essa escolha ainda não está definida e ainda há uma tendência de Imbassahy fechar uma aliança com o candidato do PMDB, Mário Kertész.

O certo é que os dois postulantes ao Palácio Thomé de Souza estariam a nutrir essa expectativa, mas Imbassahy ainda prefere aguardar o desenrolar da campanha.

No encontro de adesão ao candidato, Imbassahy e Neto sentaram na mesma mesa e conforme relato do tucano, conversaram sobre sua administração quando foi prefeito de Salvador. Neto também frisou as suas impressões sobre a cidade.

"Na verdade esse encontro foi uma coisa simples e natural, tratando-se do jantar de Paulo Câmara, uma pessoa que tenho uma relação familiar e política. Fui convidado e o Neto também. Nós nos tratamos de forma cordial e civilizada, conversando sobre as coisas de minha gestão e o que ele tem achado da cidade", minimizou Imbassahy.

Segundo ele, as conversas não significaram uma tentativa de aliança.

O posicionamento em relação aos candidatos ainda é uma incógnita, mas o lado em que estará já é sinalizado pelo próprio. "Sou de oposição à administração do prefeito João Henrique que para mim foi uma das piores e não estou satisfeito com o atual governo do estado, pois a Bahia perdeu posição econômica, prestígio político, não sabendo aproveitar as oportunidades. Quero mudanças de rumo também no Estado", enfatizou.

Segundo ele, nesse contexto é que ele deverá se enquadrar na campanha. "Começou hoje (ontem) o momento mais importante que é o horário eleitoral. Nesse espaço é que vou trabalhar, observando as propostas de cada candidato e avaliando a capacidade real de viabilizá-las", disse.

Durante o jantar, Neto também teria dito que "a experiência de Imbassahy e o conhecimento dele sobre Salvador vão ser muito importantes para ajudá-lo" a governar a cidade, caso eleito.

O apoio de Imbassahy a Neto fecharia um ciclo, já que seu partido é aliado ao democrata e terminaria os desentendimentos que ficaram marcados após o tucano ter perdido a chance de ser candidato.

O impasse seria o apoio velado de JH a Neto, envolvimento esse rejeitado por Imbassahy. No caso de uma aliança com Kertész, a dificuldade estaria em uma possível aproximação entre o peemedebista e o PT.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247