Impasse no PT: Silvio X Márcio X Rogério; quem vai à disputa?

Rogério diz que a princípio, não pensa em abandonar a candidatura: “não tenho mais esse poder, pois 160 pessoas estão mobilizadas, trabalhando o meu nome por todo o Estado, propagando a necessidade de modernizar o PT, fazer dele um partido ágil e presente onde houver militância e onde não houver fazer surgir”; Márcio informa, em nota, que continua candidato, lembra que conta com o apoio de 43 diretórios e militantes em todo o Estado, mas avisa que se mantém aberto ao diálogo pela unidade; Silvio só vai se os deputados desistirem; unidade na corrente majoritária do PT está cada vez mais distante

Rogério diz que a princípio, não pensa em abandonar a candidatura: “não tenho mais esse poder, pois 160 pessoas estão mobilizadas, trabalhando o meu nome por todo o Estado, propagando a necessidade de modernizar o PT, fazer dele um partido ágil e presente onde houver militância e onde não houver fazer surgir”; Márcio informa, em nota, que continua candidato, lembra que conta com o apoio de 43 diretórios e militantes em todo o Estado, mas avisa que se mantém aberto ao diálogo pela unidade; Silvio só vai se os deputados desistirem; unidade na corrente majoritária do PT está cada vez mais distante
Rogério diz que a princípio, não pensa em abandonar a candidatura: “não tenho mais esse poder, pois 160 pessoas estão mobilizadas, trabalhando o meu nome por todo o Estado, propagando a necessidade de modernizar o PT, fazer dele um partido ágil e presente onde houver militância e onde não houver fazer surgir”; Márcio informa, em nota, que continua candidato, lembra que conta com o apoio de 43 diretórios e militantes em todo o Estado, mas avisa que se mantém aberto ao diálogo pela unidade; Silvio só vai se os deputados desistirem; unidade na corrente majoritária do PT está cada vez mais distante (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – É indefinido ainda o cenário sobre quem será o candidato da corrente majoritária a presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) em Sergipe. O assunto continua rendendo muito na imprensa sergipana. O Jornal da Cidade desta quinta-feira (15), por exemplo, tem como manchete “Rogério não abre mão do PT em Sergipe”, reforçando disposição do deputado federal em se manter na disputa mesmo após a sugestão do governador Marcelo Déda de que ele e o também deputado federal Márcio Macêdo desistam do pleito e abram espaço para que Silvio Santos seja o candidato. Márcio informou ontem, em nota à imprensa, que também continua disposto a participar da eleição interna, mas reforçou que está aberto ao diálogo para arranjo da unidade.

Ao Jornal da Cidade, Rogério Carvalho deixou claro que, a princípio, não pensa em abandonar a candidatura e lembrou: “Não tenho mais esse poder, pois 160 pessoas estão mobilizadas, trabalhando o meu nome por todo o Estado, propagando a necessidade de modernizar o PT, fazer dele um partido ágil e presente onde houver militância e onde não houver fazer surgir”.

Rogério Carvalho acha que o embate de chapas seria salutar para a democracia petista. “Tem gente, aliás muita gente, querendo mudança, renovação no comando do partido, mais democracia internamente, um PT atuando em Aracaju e no interior, com debates sobre os temas internos e da atualidade do dia a dia brasileiro. É por isso que aqueles que apoiam a chapa pela qual sou candidato a presidente são claramente contra a desistência do meu nome da disputa. Uma renúncia da candidatura não depende mais de mim, mas sim do coletivo mobilizado”, explicou.

Em nota à imprensa, Márcio Macêdo disse que “a posição dele é a mesma desde que Silvio Santos retirou sua pré-candidatura, para construir a unidade do partido, e companheiros da corrente Articulação Unidade na Luta/Construindo Um Novo Brasil apresentaram o nome do parlamentar para a presidência estadual do PT”.

“Ou seja, Márcio Macêdo é candidato a presidente do PT em Sergipe e está aberto para a construção da unidade. Esta é a tese que ele vem defendendo desde o início das conversas dentro do campo majoritário”, reforça o documento, citando que o deputado “tem o apoio de 43 diretórios, dos prefeitos Esmeralda Cruz (Carmópolis) e Chico dos Correios (Nossa Senhora da Glória), da deputada estadual Conceição Vieira, de vereadores, vice-prefeitos, ex-prefeitos, ex-vereadores, secretários estaduais e municipais, dirigentes partidários, além de contar com o apoio da militância em todos os municípios”. Márcio lembra ainda que foi através do mandato dele “que se realizou o maior número de novas filiações ao partido neste ano”.

Perante a disposição de Márcio e Rogério de continuarem disputando, o secretário da Casa Civil, Silvio Santos, disse ontem que só entra na disputa se a escolha do nome dele for fruto da vontade dos dois deputados federais. Ou seja, a declaração de Déda criou um impasse que ainda não se mostrou fácil de resolver. A posição do governador foi justificada pelo temor da ruptura e da radicalização do processo eleitoral, mas será que desmontar dois grupos prontos para o embate gerará a unidade tão desejada? 

Na manhã desta quinta-feira (15), Déda retornou rapidamente ao Twitter (onde há dois dias, ele publicou sua posição sobre a eleição do PT), mas não falou novamente sobre o assunto. Disse apenas que recomeçou o processo de quimioterapia, como parte do tratamento contra o câncer. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email