Inri Cristo vai ao STF pedir Justiça, e é barrado na entrada

Autoproclamada encarnação de Jesus disse que foi a Brasília para conferir se a cidade vai "aproveitar para higienizar a imagem ou se continuará permitindo o assalto e achincalhe que os instrusos insistem em impor-lhe à revelia da nação brasileira"

Inri Cristo vai ao STF pedir Justiça, e é barrado na entrada
Inri Cristo vai ao STF pedir Justiça, e é barrado na entrada (Foto: Valter Campanato/ABr )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Inri Cristo tentou acompanhar o julgamento da Ação Penal 470, mais conhecida como 'mensalão', nesta quarta-feira, mas ficou de fora. Autoproclamado "filósofo, educador e regente da Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade (Soust)", o pretenso Jesus reencarnado estava acompanhada por sete inrietes, como suas discípulas são conhecidas, mas não pôde entrar, por estar sem terno.

Do lado de fora, como qualquer mortal, Inri disse que pediu a Deus que os juízes sejam iluminados para "fazerem Justiça", registrou o site Congresso em Foco. "Eu sou emissário da paz, não vou obrigar nada", respondeu ao ser questionado se tentaria entrar na corte. Em frente à estátua da Justiça, Inri Cristo reuniu os discípulos e fez uma oração.

Em manifesto que as inrietes fizeram circular, o regente da Soust diz que, "na condição de eleitor e conselheiro de juristas", foi a Brasília para conferir se a cidade vai "aproveitar para higienizar a imagem ou se continuará permitindo o assalto e achincalhe que os instrusos insistem em impor-lhe à revelia da nação brasileira". "O dia em que o Brasil for efetivamente democrático, o voto será facultativo e então os políticos terão uma grande surpresa", avisou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email