Investidores querem destronar Zuckerberg após queda bilionária em ações

Um grupo dono de US $ 11 milhões em ações do Facebook aponta para o "mau gerenciamento" de várias crises para tentar remover Mark Zuckerberg da presidência do conselho de acionistas da empresa; rebelião veio logo após a queda de 19% do Facebook no início do pregão em 26 de julho, uma perda de quase US $ 120 bilhões em seu valor de mercado

Investidores querem destronar Zuckerberg após queda bilionária em ações
Investidores querem destronar Zuckerberg após queda bilionária em ações
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - Um grupo dono de US $ 11 milhões em ações do Facebook aponta para o "mau gerenciamento" de várias crises para tentar remover Mark Zuckerberg da presidência do conselho de acionistas da empresa.

A Trillium Asset Management apresentou uma proposta para demitir o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, como presidente do conselho, de acordo com a Business Insider. O grupo de investimento, que detêm ações no valor de US $ 11 milhões, afirmou que os acionistas não podem controlar o empreendedor, já que ele é atualmente o presidente e CEO da empresa e tem 60% do poder de voto. Nem Zuckerberg nem a empresa confirmaram a reportagem.

De acordo com o investidor, apenas um presidente independente daria a "mais clara separação de poder entre o CEO e o restante do conselho" e permitiria que este último monitorasse seu gerenciamento de maneira eficaz.

"Um CEO que também atua como presidente pode exercer influência excessiva no conselho e em sua agenda, enfraquecendo a supervisão da administração", diz a proposta.

O investidor culpa o Facebook por "perder, ou lidar incorretamente com uma série de controvérsias severas, aumentando a exposição ao risco e os custos para os acionistas" por causa da falta de um conselho independente. De acordo com o comunicado, essa lista inclui o escândalo da Cambridge Analytica, no qual os dados de 87 milhões de usuários foram vazados, além de medidas consideradas inconsistentes para combater notícias falsas.

Os investidores independentes do Facebook já tentaram tirar a presidência de Zuckerberg. Embora 51% desses acionistas tenham votado a favor do tema, eles não conseguiram remover Zuckerberg, que tem ações Classe B e a maioria do poder de voto.

A recente rebelião veio logo após a queda de 19% do Facebook no início do pregão em 26 de julho, uma perda de quase US $ 120 bilhões em seu valor de mercado. A queda aconteceu um dia depois que a empresa revelar que o crescimento do número usuário diminuiu após o escândalo da Cambridge Analytica.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247