Investigação contra deputados do PT-BA deve ser arquivada

O Conselho de Ética e Decoro da Câmara dos Deputados deve arquivar os processos contra os deputados baianos do PT Afonso Florence, Nelson Pelegrino e Rui Costa (governador eleito) em decorrência das denúncias da presidente do Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva, de que a ONG servia para desviar recursos para formação de caixa 2 nas campanhas dos petistas. Segundo Dalva, o dinheiro era desviado de recursos destinados a construção de casas populares; votação dos processos está marcada para o próximo dia 2, mas as investigações devem ser arquivadas porque a delatora do suposto esquema continua na Europa

O Conselho de Ética e Decoro da Câmara dos Deputados deve arquivar os processos contra os deputados baianos do PT Afonso Florence, Nelson Pelegrino e Rui Costa (governador eleito) em decorrência das denúncias da presidente do Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva, de que a ONG servia para desviar recursos para formação de caixa 2 nas campanhas dos petistas. Segundo Dalva, o dinheiro era desviado de recursos destinados a construção de casas populares; votação dos processos está marcada para o próximo dia 2, mas as investigações devem ser arquivadas porque a delatora do suposto esquema continua na Europa
O Conselho de Ética e Decoro da Câmara dos Deputados deve arquivar os processos contra os deputados baianos do PT Afonso Florence, Nelson Pelegrino e Rui Costa (governador eleito) em decorrência das denúncias da presidente do Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva, de que a ONG servia para desviar recursos para formação de caixa 2 nas campanhas dos petistas. Segundo Dalva, o dinheiro era desviado de recursos destinados a construção de casas populares; votação dos processos está marcada para o próximo dia 2, mas as investigações devem ser arquivadas porque a delatora do suposto esquema continua na Europa (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O Conselho de Ética e Decoro da Câmara dos Deputados deve arquivar os processos abertos contra os deputados baianos do PT Afonso Florence, Nelson Pelegrino e Rui Costa, governador eleito da Bahia, em decorrência das denúncias da presidente da ONG Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva, de que a entidade servia para desviar recursos para formação de caixa 2 nas campanhas dos petistas. Segundo Dalva, o dinheiro era desviado de recursos destinados a construção de casas populares.

A votação dos processos está marcada para o próximo dia 2 e, segundo a coluna Satélite, do jornal Correio*, devem ser arquivadas porque a delatora do suposto esquema, Dalva Sele, continua na Europa, para onde viajou um dia depois de fazer as denúncias, às vésperas do primeiro turno das eleições deste ano. Segundo o colegiado, por ora, ela é a única pessoa que pode dar informações mais consistentes sobre o caso.

Mas se a investigação for mesmo arquivada, os deputados ainda não estarão definitivamente livres dos processos porque, de acordo com o deputado Ricardo Izar (PSD-SP), um dos relatores dos processos, a investigação pode ser reaberta no próximo ano de trabalhos do Legislativo.

"Algum partido ou parlamentar tem de fazer uma representação à Mesa Diretora para ser reaberto o processo no Conselho de Ética. Ele não volta do zero, volta de onde a gente parou, mas tem de haver um pedido", explica o parlamentar.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247