Iris e Marconi: encontro marcado na CPMI

O governador Marconi Perillo e o ex-governador Iris Rezende so velhos rivais polticos, com o tucano sempre levando a melhor. Agora ele vai se encontrar com Iris, mas a mulher, que foi indicada pelo PMDB para a comisso que vai investigar Cachoeira e onde ele dever depor

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - A deputada federal Iris de Araújo foi comunicada oficialmente no final da tarde desta terça que foi indicada pelo líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves, para integrar a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que vai investigar as denúncias envolvendo o contraventor Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo, da Polícia Federal.

À imprensa, ela disse logo que ficou sabendo da indicação que vai, na CPMI, vai defender o Estado, que está, segundo ela, “à mercê deste tipo de ilícito (a ser investigado) ou de prática que nós jamais imaginávamos que poderia acontecer”.

Ela afirmou ainda: “Peço a Deus que me dê coragem e força para que eu possa, sim, fazer o papel de juíza, com isenção, mas que a verdade, nada mais que a verdade seja colocada para que possamos viver no estado de direito, realmente, em uma plena democracia, cumprindo o meu papel como cidadã.”

Iris Araújo é mulher do ex-governador Iris Rezende, derrotado pelo tucano Marconi Perillo em 1998 e na eleição passada para governador. Há poucos dias, Iris, o Rezende, defendeu prisão para os envolvidos com o caso Cachoeira e enfatizou que Goiás é conhecido atualmente, perante a opinião pública brasileira, como o Estado da “jogatina e da vergonha, em que o poder público se mistura com o crime, e ninguém entende porque.”

Ele, porém, também vem sendo questionado sobre os contratos firmados em sua gestão frente à Prefeitura de Goiânia com a Delta Construções. Também recentemente, ele pediu ao atual prefeito, que era seu vice, que mostrasse à imprensa os contratos assinados por ele.

Já Iris Araújo vem ocupando a tribuna na Câmara com discursos duros envolvendo o governo de Marconi Perillo e Cachoeira. No dia 29, ela chegou a protocolar ofício na presidência da Câmara dos Deputados pedindo investigação formal sobre ameaças de mote que recebeu pelo Twitter. Na época, ele estabeleceu ligação direta entre essas ameaças e suas críticas ao governador goiano.

O embate entre Iris e Marconi, portanto, provavelmente se estenderá agora para a CPMI, para a qual o tucano já falou que quer ser convidado. Só mudou o sobrenome.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email