“Iris fez a pior gestão da segurança em Goiás”

Vice-governador responde “ataques caluniosos” do candidato do PMDB à prefeitura no que diz respeito à segurança em Goiânia; “Ele promove a campanha caluniosa e de mais baixo nível de que se tem notícia nas disputas eleitorais”, afirma ao citar redução nos índices de criminalidade na Capital; sobre a atuação de Iris quando era governador, nos anos 80, relatou: “As corporações eram as mais mal remuneradas do País, o efetivo utilizava armamento de segunda mão, os famigerados revólveres carioquinhas, a frota era composta por veículos sucateados e permanentemente sem combustível”

eliton
eliton (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - “Iris Rezende fez a pior gestão da história da segurança pública de Goiás”, disse o vice-governador José Eliton nesta quarta-feira (19/10), oportunidade em que respondeu “aos ataques caluniosos” do candidato do PMDB à prefeitura no que diz respeito à criminalidade em Goiânia. “Ele promove a campanha caluniosa e de mais baixo nível de que se tem notícia nas disputas eleitorais na capital”, afirma. “Na busca irresponsável pelo poder, vai às últimas consequências, tenta enganar e iludir o eleitor goianiense com mentiras e leviandades”, diz.

De acordo com José Eliton, secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, na gestão de Iris Rezende no governo do Estado “não havia qualquer política de valorização das polícias; as corporações eram as mais mal remuneradas do País; o efetivo utilizava armamento de segunda mão, os famigerados revólveres carioquinhas; a frota era composta por veículos sucateados e permanentemente sem combustível”.

A falta de compromissos de Iris com a segurança pública continuou durante gestão em Goiânia. De acordo com o vice-governador “quando prefeito, Iris não tomou uma medida sequer em prol de boa estruturação da Guarda Municipal”. Além disso, “ao abandonar a administração da capital em 2010 para disputar o Governo de Goiás, deixando para trás uma administração sucateada e falida, contribuiu de forma decisiva para o aumento da violência, já que sua irresponsabilidade fiscal redundou na falta de recursos para manutenção da iluminação pública, vigilância de prédios, áreas públicas e parques municipais”, afirma José Eliton. “O problema da ocupação irregular na capital também se agravou”.

Em contrapartida, José Eliton cita os avanços em segurança pública alcançados pelo governador Marconi Perillo. “Os investimentos em inteligência, investigação e inovação tecnológica são os maiores da história. Goiás é o primeiro estado brasileiro a editar uma legislação protetiva da atividade policial. As carreiras policiais são valorizadas e respeitadas. Nossas corporações estão entre as mais bem remuneradas do Brasil”, afirma.

O vice-governador diz, ainda, que “os equipamentos à disposição dos policiais de Goiás são os mais modernos do País e em permanente atualização. A frota está sempre em condições de uso, 24 horas por dia, sete dias por semana e, a partir desta quinta-feira (20/10) já iniciamos a renovação: 2.141 viaturas novas serão entregues até o final do ano”. Ele lembra, ainda que, no ano passado, “o Estado de Goiás foi o Estado brasileiro que proporcionalmente mais investiu em segurança pública, 12,55% do orçamento”, o que significa gastos na ordem de R$ 2.7 bilhões.

Para Eliton, esse conjunto de ações vem reduzindo de forma gradativa e consiste dos índices de criminalidade em todo o Estado, na capital e no interior. Segundo os dados que apresentou, na comparação entre setembro deste ano e igual período de 2015, em Goiânia o número de homicídios teve queda de 25,45%. Houve ainda redução nos casos de furtos a transeuntes (-40,37%); furtos em comércio (-33,84%); furtos de veículos (-29,77%); estupros (-28,57%); roubos de veículos (-19,91%); tentativas de homicídios (-11,94%); roubos a transeuntes (-10,45%); e furtos em residências (-8,4%).

Eliton qualificou Iris como “o eterno candidato a tudo e a qualquer coisa” que “mais parece fazer campanha para o governo do que para a Prefeitura de Goiânia”. Ele contestou a propaganda do ex-prefeito, segundo a qual Goiânia seria a 29ª cidade mais violenta do mundo. Qualificou como “um despautério completo”. De acordo com o vice-governador, “nenhum organismo sério ou minimamente respeitável divulgou tal informação”. Ele citou o Mapa da Violência e o Anuário da Segurança ao destacar que nenhum dos 246 municípios goianos se encontra entre os 50 (cinquenta) mais violentos do País, “o que por si demonstra a leviandade e mentira da informação veiculada”.

José Eliton contestou ainda a peça de Iris ao afirmar que Goiânia observa recorde de homicídio. Ele qualificou como “absurdo, má-fé e ignomínia”, na medida em que “os homicídios em Goiânia e no Estado observam uma redução significativa, sendo que no mês de julho observamos o menor número no Estado dos últimos quatro anos”. Além disso “lamentavelmente, Iris também aponta números relativos a roubo de veículos sem qualquer correspondência com a realidade”.

“Como se vê, o único objetivo de Iris é conquistar o poder, nem que para isso tenha que exaltar a violência e tirar a paz dos cidadãos de bem que trabalham para alimentar e educar seus filhos”, diz o vice-governador. “Nosso dever, como administradores públicos sérios e comprometidos com os interesses maiores da população, é repudiar esse tipo de postura, na esperança de que um dia a prática política do sr. Iris seja pautada pela verdade e não pela mentira”, afirma.

“É preciso restabelecer a verdade e desmascarar os mentirosos e farsantes. Iris, mais uma vez, demonstra sua visão ultrapassada da gestão e da política”, diz José Eliton. “É preciso restabelecer a verdade e desmascarar os mentirosos e farsantes. Iris, mais uma vez, demonstra sua visão ultrapassada da gestão e da política”, finaliza o vice-governador.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247