Jarbas: "O governo virou uma seita fundamentalista"

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) criticou nesta quarta-feira (3), em Plenário, a forma como o PT se refere aos seus opositores durante a campanha, especialmente à candidata do PSB, Marina Silva; para o peemedebista, o comportamento mostra o "desespero" de um partido que não teria mais capacidade para governar o país e encontrar soluções para os problemas que afligem a população; segundo ele, "o governo se transformou numa seita fundamentalista" que "frustrou as expectativas dos brasileiros" 

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) criticou nesta quarta-feira (3), em Plenário, a forma como o PT se refere aos seus opositores durante a campanha, especialmente à candidata do PSB, Marina Silva; para o peemedebista, o comportamento mostra o "desespero" de um partido que não teria mais capacidade para governar o país e encontrar soluções para os problemas que afligem a população; segundo ele, "o governo se transformou numa seita fundamentalista" que "frustrou as expectativas dos brasileiros" 
O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) criticou nesta quarta-feira (3), em Plenário, a forma como o PT se refere aos seus opositores durante a campanha, especialmente à candidata do PSB, Marina Silva; para o peemedebista, o comportamento mostra o "desespero" de um partido que não teria mais capacidade para governar o país e encontrar soluções para os problemas que afligem a população; segundo ele, "o governo se transformou numa seita fundamentalista" que "frustrou as expectativas dos brasileiros"  (Foto: Paulo Emílio)

Agência Senado - O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) criticou nesta quarta-feira (3), em Plenário, a forma como o Partido dos Trabalhadores se refere aos seus opositores durante a campanha eleitoral, especialmente à candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva.

Ontem, observou Jarbas, tanto no Plenário do Senado quanto na propaganda eleitoral que foi ao ar, Marina Silva foi desqualificada pelo PT, que chegou a afirmar que um eventual governo da candidata do PSB poderia não chegar ao fim e ter o mesmo destino das gestões dos ex-presidentes Jânio Quadros e Fernando Collor - presidentes que não concluíram seus mandatos.

Esse comportamento do PT, acredita o senador, mostra o "desespero" de um partido que não teria mais capacidade para governar o país e encontrar soluções para os problemas que afligem a população.

- Para um governo que se transformou numa seita fundamentalista, é difícil admitir que, há muito tempo, frustrou as expectativas dos brasileiros e que o país não aguenta mais quatro anos de tudo isso que está aí. Ontem mesmo, escalado pelo PT, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que os planos de Marina Silva para a economia poderiam paralisar a atividade econômica, esquecendo, entretanto, que foram as gestões de seu governo, do PT, que levaram o país à recessão - afirmou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247