João: "problema da Saúde do Brasil não é falta de médico"

Segundo o prefeito de Aracaju, a tabela de pagamento por serviço de saúde do SUS não é corrigida há dez anos; "o repasse do Ministério da Saúde de uma cirurgia de laringite, por exemplo, é de aproximadamente R$ 70. Mas essa mesma cirurgia custa na verdade mais de R$ 500, e o pagamento quem faz é Aracaju, já que somos responsáveis pelo Média e Alta Complexidade. A forma de melhorar muito a situação da Saúde pública, inclusive acabando com as filas nos hospitais e nas UPAS, é fazendo a correção da tabela SUS. Teríamos valores dignos de mercado para pagar os hospitais, que se recusam a receber o valor estipulado pelo SUS, que é uma vergonha”, disse

João: "problema da Saúde do Brasil não é falta de médico"
João: "problema da Saúde do Brasil não é falta de médico"
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergipe 247 - O prefeito João Alves Filho (DEM) fez duras críticas ao Governo Federal, em relação ao Sistema Único de Saúde. Insatisfeito com o valor do repasse feito pelo SUS ao município, o prefeito disse que a administração federal dá incentivos a empresas através do IPI, o que prejudica as contas das prefeituras. “Estamos vivendo no Brasil algo absurdo. Nunca vi durante toda minha vida pública essa situação. Os municípios estão abandonados, temos apenas discurso. O Governo Federal incentiva novas empresas com a redução do IPI, que é um imposto direcionado ao município. Com isso, está havendo uma queda na arrecadação do FPM (Fundo de Participação dos Municípios). A saúde pública está sendo vítima dessa situação”, afirmou.

Segundo ele, a tabela de pagamento por serviço de saúde do SUS não é corrigida há dez anos. "O repasse do Ministério da Saúde de uma cirurgia de laringite, por exemplo, é de aproximadamente R$ 70. Mas essa mesma cirurgia custa na verdade mais de R$ 500, e o pagamento quem faz é Aracaju, já que somos responsáveis pelo MAC (Média e Alta Complexidade). A forma de melhorar muito a situação da Saúde pública, inclusive acabando com as filas nos hospitais e nas UPAS, é fazendo a correção da tabela SUS. Teríamos valores dignos de mercado para pagar os hospitais, que se recusam a receber o valor estipulado pelo SUS, que é uma vergonha”, disse o prefeito, garantindo que os municípios estão ficando sufocados por conta dessa defasagem.

De acordo com João Alves, Aracaju ainda é responsável por atender 74 municípios de Sergipe, já que é a cidade encarregada pelos procedimentos de Média e Alta Complexidade. “O valor que vêm do SUS é praticamente insignificante. Por conta disso, Aracaju está sendo obrigada a subsidiar os outros municípios também. O problema do Brasil não é a falta de médico ou hospitais. Queremos é recursos para manter os postos abertos e funcionando. Com isso, a população não será mais penalizada nas enormes filas e por falta de atendimento”, disse, durante a Oficina de Atualização da Programação Pactuada Integrada (PPI), nesta terça-feira (30).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247