Juízes dizem que não se intimidam com ameaças de Bolsonaro

A Associação Alagoana de Magistrados disse, em nota, que o “Judiciário não se intimida com esse tipo de ameaça", referindo-se as declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), sobre um possível fechamento STF, caso a chapa do seu pai seja impugnada; documento diz ainda que “qualquer tentativa de silenciar ou suspender as atividades do Judiciário são atos ditatoriais, repelidos por cláusulas pétreas da nossa Constituição”

Juízes dizem que não se intimidam com ameaças de Bolsonaro
Juízes dizem que não se intimidam com ameaças de Bolsonaro (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agencia Brasil)

Por Gilca Cinara, em Cada Minuto - Associação Alagoana de Magistrados (ALMAGIS) também se posicionou sobre as declarações do filho do candidato à Presidência, Jair Bolsonaro sobre um possível fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF), em caso que uma impugnação da chapa. Em nota, a diretoria executiva afirmou que o "Poder Judiciário não se intimida com esse tipo de ameaça". 

Enfantizando, a Associação destacou que as declarações forma contra os princípio democráticos, além de de ser atos ditatoriais. 

"Em virtude de declarações contra os princípios democráticos, atingindo frontalmente o Supremo Tribunal Federal, A Associação Alagoana de Magistrados - ALMAGIS, por deliberação de sua Diretoria Executiva, vem, repudiá-las veementemente por entender que qualquer tentativa de silenciar ou suspender as atividades do Poder Judiciário são atos ditatoriais, repelidos por cláusulas pétreas da nossa Constituição. O Poder Judiciário não se intimida com esse tipo de ameaça, mantendo-se unido e ciente do cumprimento de suas obrigações", disse Almagis em nota.

A fala de Eduardo Bolsonaro, eleito deputado federal, causou diversas reações não somente no Judiciário, mas como em toda classe política. O próprio candidato utilizou seu tempo de campanha de TV para tentar se desculpar das declarações, que foram consideradas um ato contra  democracia. 

No início da semana, o presidente do Supremo, Dias Toffoli, afirmou que "atacar o Poder Judiciário é atacar a democracia" e completou. "O Supremo Tribunal Federal é uma instituição centenária e essencial ao Estado Democrático de Direito. Não há democracia sem um Poder Judiciário independente e autônomo. O País conta com instituições sólidas e todas as autoridades devem respeitar a Constituição. Atacar o Poder Judiciário é atacar a democracia.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247