Justiça Eleitoral torna prefeito de Pilar inelegível

A Justiça Eleitoral da comarca de Pilar, na Grande Maceió, declarou inelegível por 8 anos o atual prefeito, Renato Rezende, por autopromoção utilizando os programas federais Minha Casa, Minha Vida e Bolsa Família, durante a campanha eleitoral de 2012; contudo, a perda do mandado não deve acontecer de imediato, porque a decisão ainda cabe recurso, que será apreciado pelos desembargadores eleitorais

A Justiça Eleitoral da comarca de Pilar, na Grande Maceió, declarou inelegível por 8 anos o atual prefeito, Renato Rezende, por autopromoção utilizando os programas federais Minha Casa, Minha Vida e Bolsa Família, durante a campanha eleitoral de 2012; contudo, a perda do mandado não deve acontecer de imediato, porque a decisão ainda cabe recurso, que será apreciado pelos desembargadores eleitorais
A Justiça Eleitoral da comarca de Pilar, na Grande Maceió, declarou inelegível por 8 anos o atual prefeito, Renato Rezende, por autopromoção utilizando os programas federais Minha Casa, Minha Vida e Bolsa Família, durante a campanha eleitoral de 2012; contudo, a perda do mandado não deve acontecer de imediato, porque a decisão ainda cabe recurso, que será apreciado pelos desembargadores eleitorais (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - O Juiz Eleitoral da comarca de Pilar, Sandro Augusto, declarou inelegível por 8 anos o atual prefeito do município, Renato Rezende, "o Renatinho" por autopromoção utilizando os programas federais Minha Casa, Minha Vida e Bolsa Família, durante a campanha eleitoral de 2012. Além de estipular uma multa de R$ 728 mil. A decisão foi publicada no Diário de justiça Eletrônico (DJE) desta terça-feira (03).

Na decisão, o magistrado ainda cassou o registro das candidaturas de Renato Rezende e de Katerine Silva Camelo candidatos ao cargo de prefeito e vice-prefeito, respectivamente. 

Com base nas provas apresentadas, o juiz Sandro Augusto determinou que a inelegibilidade por 8 anos do prefeito de Pilar, deve ser contada a partir do ano de 2012, vindo a ser concluída em 2020. 

Segundo a assessoria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a perda do mandado de Renatinho não deve acontecer de imediato, porque a decisão ainda cabe recurso, que deve ir para apreciação dos desembargadores eleitorais.

A Gazetaweb entrou em contato com o prefeito Renatinho, que, por meio de sua assessoria, afirmou estar ciente da sentença e que está tranquilo. Ele adiantou que vai recorrer da decisão.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247