‘Justiça libera Henrique Alves, mas Gebran e Moro não se revoltam’

"Justiça libera Henrique Alves. Não há indignação, Moro, Gebran, generais. Só a confirmação de uma espécie de tarefa cumprida, onde tudo pode voltar à 'normalidade' e os poderosos podem seguir impunes", afirmou o deputado Ivan Valente (Psol-SP)

‘Justiça libera Henrique Alves, mas Gebran e Moro não se revoltam’
‘Justiça libera Henrique Alves, mas Gebran e Moro não se revoltam’ (Foto: Alex Ferreira - Câmara)

SP 247 - O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou a decisão judicial que concedeu liberdade ao ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (MDB-RN).

"Justiça libera Henrique Alves. Não há indignação, Moro, Gebran, generais. Só a confirmação de uma espécie de tarefa cumprida, onde tudo pode voltar à "normalidade" e os poderosos podem seguir impunes", escreveu o parlamentar no Twitter.

Sérgio Moro e o desembargador Gebran Neto, relator da Operação Lava Jato em segunda instância jurídica (Tribunal Regional Federal da Quarta Região, sediado em Porto Alegre) se manifestaram contra a decisão de outro desembargador do TRF4, Rogério Favreto, que, no último domingo (8), determinou a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - ele segue preso.

O juiz Francisco Eduardo Guimarães Farias, titular da 14ª Vara da Justiça Federal no Rio Grande do Norte, concedeu hoje (13) liberdade provisória ao ex-ministro Henrique Eduardo Alves, que cumpria prisão domiciliar em Natal.

O ex-ministro é réu no processo da Operação Manus, onde constam denúncias de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

O juiz, na sua decisão, estendeu a Henrique Alves os efeitos da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello, que concedeu habeas corpus ao réu Eduardo Cunha no mesmo processo.

*Com Agência Brasil

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247