Justiça nega pedido da defesa de Azeredo para anular condenação

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou os embargos de declaração, com efeito modificativo, apresentados pela defesa do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB); a defesa do tucano tentou anular a sentença já proferida de 20 anos e dez meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro no chamado mensalão mineiro

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou os embargos de declaração, com efeito modificativo, apresentados pela defesa do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB); a defesa do tucano tentou anular a sentença já proferida de 20 anos e dez meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro no chamado mensalão mineiro
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou os embargos de declaração, com efeito modificativo, apresentados pela defesa do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB); a defesa do tucano tentou anular a sentença já proferida de 20 anos e dez meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro no chamado mensalão mineiro (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou na tarde desta terça-feira (21) os embargos de declaração, com efeito modificativo, apresentados pela defesa do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB). A defesa do tucano tentou anular a sentença já proferida de 20 anos e dez meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro no chamado mensalão mineiro. A decisão desta terça foi unânime, segundo o jornal O Tempo. Votaram os desembargadores Alexandre Victor Carvalho, Adilson Lamounier e Pedro Vergara.

A defesa informou entrará com novo recurso, mas agora o de embargos infringentes. Este é o último recurso possível para os advogados do ex-governador e, se for rejeitado, ele terá de cumprir a pena em regime fechado, conforme decisão judicial.

De acordo com a acusação, quando tentou a reeleição em 1998, Azeredo, derrotado por Itamar Franco naquele ano, desviou recursos de estatais do governo para financiar sua campanha. O esquema teria contado com a participação do publicitário Marcos Valério.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247