Kakay: inquérito apenas com palavra de delator causa perplexidade

"O governador Marconi Perillo não tem nenhuma preocupação com o que foi dito pelos delatores e espera o conhecimento pleno do que consta na delação poder se manifestar. Conforme já demonstrado pela defesa e pela imprensa, há uma série de incongruências e incoerências nos depoimentos dos ex-executivos da Odebrecht", disse o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, sobre o inquérito aberto contra o governador Marconi Perillo

"O governador Marconi Perillo não tem nenhuma preocupação com o que foi dito pelos delatores e espera o conhecimento pleno do que consta na delação poder se manifestar. Conforme já demonstrado pela defesa e pela imprensa, há uma série de incongruências e incoerências nos depoimentos dos ex-executivos da Odebrecht", disse o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, sobre o inquérito aberto contra o governador Marconi Perillo
"O governador Marconi Perillo não tem nenhuma preocupação com o que foi dito pelos delatores e espera o conhecimento pleno do que consta na delação poder se manifestar. Conforme já demonstrado pela defesa e pela imprensa, há uma série de incongruências e incoerências nos depoimentos dos ex-executivos da Odebrecht", disse o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, sobre o inquérito aberto contra o governador Marconi Perillo (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 – "O governador Marconi Perillo não tem nenhuma preocupação com o que foi dito pelos delatores e espera o conhecimento pleno do que consta na delação poder se manifestar. Conforme já demonstrado pela defesa e pela imprensa, há uma série de incongruências e incoerências nos depoimentos dos ex-executivos da Odebrecht", disse o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, sobre o inquérito aberto contra o governador Marconi Perillo.

Leia, abaixo, a nota da defesa:

NOTA DA DEFESA DO GOVERNADOR MARCONI PERILLO

NOTA DO ADVOGADO DO GOVERNADOR MARCONI PERILLO

O pedido de abertura de um inquérito baseado tão somente nas palavras de um delator nos causa perplexidade.

A palavra do delator, como bem disse o Supremo Tribunal Federal (STF), não faz prova alguma. Pelo menos antes da abertura do inquérito, seria necessário ouvir a pessoa indicada e abrir uma sindicância anterior.

O governador Marconi Perillo tem a convicção de que esclarecerá e restabelecerá a verdade em relação a tudo que foi dito pelos delatores, e espera o conhecimento pleno do que consta na delação para se manifestar.

Conforme já demonstrado pela defesa e pela imprensa, há uma série de incongruências e incoerências nos depoimentos dos ex-executivos da Odebrecht.

A defesa aguarda que o mais breve possível seja dado o acesso à plenitude dessas delações para se pronunciar.

Antônio Carlos de Almeida Castro/Kakay

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247