Kalil defende aumento de seu próprio salário

Recém-empossado prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), exonerou 2,3 mil servidores comissionados como forma de cortar gastos, mas defendeu uma medida que reajustou seu próprio salário; "Garanto que não foi salário que colocou esse país onde ele está", disse Kalil a jornalistas. "Bons técnicos precisam ter bons salários

Alexandre Kalil (PHS), prefeito eleito de Belo Horizonte
Alexandre Kalil (PHS), prefeito eleito de Belo Horizonte (Foto: Giuliana Miranda)

Minas 247 - Recém-empossado prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), exonerou 2,3 mil servidores comissionados como forma de cortar gastos, mas defendeu uma medida que reajustou seu próprio salário.  "Garanto que não foi salário que colocou esse país onde ele está", disse Kalil a jornalistas. "Bons técnicos precisam ter bons salários."

As informações são do Valor.

"O reajuste foi aprovado pelos vereadores em dezembro e sancionado pelo então prefeito Marcio Lacerda (PSB). Pela medida, o prefeito, vice-prefeito, secretários municipais, além dos próprios vereadores, passam a receber 9,3% a mais a partir deste ano. A justificativa é que se trata de reposição da inflação medida pelo IPCA.

Kalil ponderou que o reajuste ao Executivo é dado a cada quatro anos. "Tem leis, tem datas isso não é feito de orelhada. Queremos é olhar daqui para frente", disse ele, após a cerimônia de posse de seus secretários. O salário do prefeito passa dos R$ 24,7 mil para R$ 27 mil; o dos vereadores, de R$ 15 mil para 16,4 mil.

No fim do mandato, Lacerda aprovou também reajuste das tarifas de ônibus. Ontem, Kalil disse que sua equipe vai avaliar se houve abuso no aumento das tarifas, mas deu a entender que não está inclinado rever a decisão. 'Não vamos começar com atos irresponsáveis.'"

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247