La dolce vita de Demóstenes

Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, faz a comparação de dois casos da Justiça do País; enquanto o ex-senador Demóstenes Torres, flagrado mantendo relações com um chefe do crime organizado de Goiás, Carlos Cachoeira, e com diversas provas materiais contra ele, passa o Ano Novo na Itália (na foto, ele caminha pelas ruas da cidade de Florença no primeiro dia do ano), o ex-deputado José Genoino, condenado pelo STF "sem uma única prova material ou mesmo testemunhal", cumpre prisão domiciliar em Brasília; "Justiça à brasileira", escreve Guimarães

Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, faz a comparação de dois casos da Justiça do País; enquanto o ex-senador Demóstenes Torres, flagrado mantendo relações com um chefe do crime organizado de Goiás, Carlos Cachoeira, e com diversas provas materiais contra ele, passa o Ano Novo na Itália (na foto, ele caminha pelas ruas da cidade de Florença no primeiro dia do ano), o ex-deputado José Genoino, condenado pelo STF "sem uma única prova material ou mesmo testemunhal", cumpre prisão domiciliar em Brasília; "Justiça à brasileira", escreve Guimarães
Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, faz a comparação de dois casos da Justiça do País; enquanto o ex-senador Demóstenes Torres, flagrado mantendo relações com um chefe do crime organizado de Goiás, Carlos Cachoeira, e com diversas provas materiais contra ele, passa o Ano Novo na Itália (na foto, ele caminha pelas ruas da cidade de Florença no primeiro dia do ano), o ex-deputado José Genoino, condenado pelo STF "sem uma única prova material ou mesmo testemunhal", cumpre prisão domiciliar em Brasília; "Justiça à brasileira", escreve Guimarães (Foto: Gisele Federicce)

247 – Um flagrante na Itália fez com que o blogueiro Eduardo Guimarães fizesse uma curiosa comparação entre dois casos da "Justiça à brasileira", como diz ele.

Enquanto o ex-senador Demóstenes Torres, flagrado mantendo relações com um chefe do crime organizado de Goiás, Carlos Cachoeira, passa o Ano Novo na Itália, José Genoino cumpre prisão domiciliar em Brasília.

O procurador de Goiás (na foto, ele caminha pelas ruas da cidade de Firenze no primeiro dia do ano) tem contra ele diversas provas materiais, inclusive gravações em que aparece se corrompendo.

Já o ex-deputado foi condenado a seis anos e 11 meses de prisão pelo STF "sem uma única prova material ou mesmo testemunhal", como lembra Guimarães. Leia abaixo o post publicado em seu blog

Justiça à brasileira: Demóstenes Torres curte Ano Novo na Itália

Dois homens, duas acusações, dois pesos e duas medidas.

O ex-senador Demóstenes Torres foi flagrado mantendo relações com um chefe do crime organizado de Goiás. Há fartas provas materiais contra ele, inclusive gravações em que aparece se corrompendo.

Demóstenes foi flagrado por uma fonte deste blog desfrutando das delícias que o dinheiro pode comprar. A foto que o leitor vê acima foi tirada na cidade italiana de Firenze no primeiro dia deste ano.

José Genoino foi acusado de corrupção ativa e formação de guadrilha e condenado a 6 anos e 11 meses de prisão sem uma única prova material ou mesmo testemunhal. Para condená-lo, usaram a teoria de que seria "verossímil" que fosse culpado.

No mesma foto acima, Genoino aparece em prisão domiciliar, em Brasília, no dia 6 último, após a justiça ter decidido lhe cobrar uma multa que vale mais do que a casa humilde em que reside, num bairro de periferia da grande São Paulo.

Os fatos acima resumem a Justiça brasileira. Abaixo, as fotos de como a elite judiciária trata a elite política deste país, que paira acima das leis enquanto debocha delas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247