Lava Jato paulista quer ouvir de novo executivos da Odebrecht

Anunciado na última quinta-feira, o novo grupo de trabalho, formado por quatro procuradores, está começando a trabalhar nos pedidos de investigação encaminhados ao Estado em abril pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF; a força-tarefa pretende ouvir novamente executivos da Odebrecht

Anunciado na última quinta-feira, o novo grupo de trabalho, formado por quatro procuradores, está começando a trabalhar nos pedidos de investigação encaminhados ao Estado em abril pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF; a força-tarefa pretende ouvir novamente executivos da Odebrecht
Anunciado na última quinta-feira, o novo grupo de trabalho, formado por quatro procuradores, está começando a trabalhar nos pedidos de investigação encaminhados ao Estado em abril pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF; a força-tarefa pretende ouvir novamente executivos da Odebrecht (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - A Operação Lava Jato terá uma força-tarefa focada em casos do Estado de São Paulo.

Anunciado na última quinta-feira 20, o novo grupo de trabalho, formado por quatro procuradores, está começando a trabalhar nos pedidos de investigação encaminhados ao Estado em abril pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, de acordo com reportagem da Folha.

A força-tarefa pretende ouvir novamente executivos da Odebrecht. "Eles têm que ser ouvidos, começar a entregar a documentação. Todos esses depoimentos precisam ser corroborados", afirma Thaméa Danelon, coordenadora do Núcleo de Combate à Corrupção na Procuradoria e integrante do grupo.

Os procuradores localizados em São Paulo atuarão em casos com o de suposta propina nas obras da linha 2 verde do Metrô e favorecimento à Odebrecht em acordo judicial na construção da rodovia Carvalho Pinto.

Haverá também investigação sobre doações para o caixa 2 de campanhas eleitorais de deputados, do ex-prefeito Fernando Haddad (PT) e de Alexandre Padilha (PT), que disputou o governo em 2014.

Leia mais na reportagem do Jota.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247