Leur quer ouvir Brust sobre crise no governo

"O cenário é extremamente preocupante, pois o governo do PT conseguiu literalmente quebrar as contas do Estado", diz Leur Lomanto Jr. (PMDB); deputado propôs convocação do presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), Alexandre Brust, que relatou ao Tribunal de Contas do Estado que o governo não está repassando os recursos para custeio da autarquia; para o peemedebista, "não é surpresa a incompetência do governo"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247

Diante da crise financeira do Governo da Bahia e do relato de dificuldades enviado pelo presidente da CBPM, Alexandre Brust (PDT), ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), o deputado Leur Lomanto Jr., do PMDB, propôs a convocação do dirigente da companhia para esclarecer o assunto na Assembleia Legislativa da Bahia.

O peemedebista afirmou que não seria mais surpresa a "incompetência do governo", fator que tem sido alertado pela bancada de oposição há algum tempo, mas que agora chamava a atenção o fato de um membro do próprio governo ter relatado essa situação.

Para Leur, os parlamentares e a população baiana precisam ter claro conhecimento do que se passa na área financeira do governo. Brust enviou documento ao TCE informando que o tesouro estadual não está liberando recursos para a CBPM, o que tem prejudicado os trabalhos e o pagamento de fornecedores.

O deputado citou os atrasos do governo nos pagamentos de fornecedores e funcionários PSTs (Prestadores de Serviços Temporários), além da baixa arrecadação do Estado. "O cenário é extremamente preocupante, pois o governo do PT conseguiu literalmente quebrar as contas do Estado".

Votos de alguns conselheiros do TCE já apontam há algum tempo o pequeno desempenho da economia baiana, o aumento de gastos com propaganda e publicidade em mais de 200%, nos últimos dez anos e a falta de um órgão de controle interno no governo que possa aferir a eficiência das políticas públicas do Estado.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email