Luiz Caetano cobra liberação de recurso para a Bahia

A liberação do empréstimo de R$ 600 milhões do Banco do Brasil para o governo da Bahia continua repercutindo; o vice-líder da bancada do PT na Câmara dos Deputados, Luiz Caetano, também cobrou do governo federal a liberação da verba - que será usada para obras de infraestrutura, melhorias de estrada e na agricultura; em duro discurso na Tribuna, o parlamentar baiano disse que o governo do estado cumpriu todas as exigências para que o dinheiro fosse liberado e que iria apresentar um requerimento para que o presidente do Banco do Brasil explicasse a situação

A liberação do empréstimo de R$ 600 milhões do Banco do Brasil para o governo da Bahia continua repercutindo; o vice-líder da bancada do PT na Câmara dos Deputados, Luiz Caetano, também cobrou do governo federal a liberação da verba - que será usada para obras de infraestrutura, melhorias de estrada e na agricultura; em duro discurso na Tribuna, o parlamentar baiano disse que o governo do estado cumpriu todas as exigências para que o dinheiro fosse liberado e que iria apresentar um requerimento para que o presidente do Banco do Brasil explicasse a situação
A liberação do empréstimo de R$ 600 milhões do Banco do Brasil para o governo da Bahia continua repercutindo; o vice-líder da bancada do PT na Câmara dos Deputados, Luiz Caetano, também cobrou do governo federal a liberação da verba - que será usada para obras de infraestrutura, melhorias de estrada e na agricultura; em duro discurso na Tribuna, o parlamentar baiano disse que o governo do estado cumpriu todas as exigências para que o dinheiro fosse liberado e que iria apresentar um requerimento para que o presidente do Banco do Brasil explicasse a situação (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - A liberação do empréstimo de R$ 600 milhões do Banco do Brasil para o governo da Bahia continua repercutindo. Desta vez, foi o vice-líder da bancada do PT na Câmara dos Deputados, Luiz Caetano, quem cobrou do governo federal a liberação da verba - que será usada para obras de infraestrutura, melhorias de estrada e na agricultura. Em duro discurso na Tribuna, o parlamentar baiano disse que o governo do estado cumpriu todas as exigências para que o dinheiro fosse liberado e que, hoje mesmo, iria apresentar um requerimento para que o presidente do Banco do Brasil explicasse a situação.

“Anuncio que vou apresentar um requerimento, na Comissão de Fiscalização e Controle desta Casa, convidando o presidente do Banco Brasil a vir até a Câmara. Queremos que ele esclareça porque um recurso contratado, assinado e publicado não é liberado”, disse Caetano.

De acordo com o deputado, a assinatura do contrato de financiamento foi realizada no dia 1º de agosto. No dia 21 do mesmo mês, foi publicada no Diário Oficial da União; e no dia 22, a publicação ocorreu no Diário Oficial do Estado da Bahia. Para Caetano, não há nenhuma explicação, que não seja política, para que o recurso ainda não esteja nos cofres do governo do Estado.

“O Governo Federal pediu garantias para liberar o recurso; o Governo da Bahia deu todas essas garantias. O Senado Federal precisava aprovar a liberação do recurso; o Senado Federal aprovou a liberação do recurso. A União precisava dar o aval para a liberação do recurso; a União deu o aval para a liberação do recurso. Por que o recurso não é liberado? Por questões políticas?”, indagou.

Caetano continuou seu discurso criticando o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o presidente Michel Temer (PMDB). De acordo com ele, Temer não libera o recurso para agradar ao DEM, de ACM, seu aliado no Congresso Nacional. Segundo o deputado, o senador Otto Alencar (PSD) cobrou de Temer a liberação do empréstimo, e ouviu que era preciso a ‘autorização’ do DEM. “Michel Temer e o DEM estão impedindo a liberação do recurso para a Bahia por questões políticas. ACM Neto, prefeito da capital, está fazendo uma coisa mesquinha. Está impedindo que o povo baiano receba o recurso. Está impedindo que Rui Costa trabalhe ainda mais. Está se apequenando. Cadê o espírito público, prefeito?”, concluiu, destacando – também – que Antonio Imbassahy (PSDB), ministro baiano do governo Temer, “não faz um gesto para ajudar na liberação do recurso”.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247