Lula: eles não conseguem me parar nas urnas

Líder absoluto em todas as pesquisas de intenção de voto para 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva denunciou, em Minas Gerais, a perseguição jurídica que vem sofrendo; "Eles não conseguem me parar através das urnas, eles vão tentar me parar através da Justiça", disse o petista; discurso foi realizado em ato na cidade de Governador Valadares (MG), durante o segundo dia de sua caravana pelo Estado; "Se alguém quiser que eu não seja candidato a presidente, só tem um jeito: tenha coragem, crie um partido político, seja candidato e vá me derrotar nas urnas", afirmou; em entrevista nesta manhã, ele ironizou a compra de votos por Temer para derrubar a segunda denúncia: "O Temer gastou pra aprovar a PEC de limite de gastos. Por que ele não limita os gastos pra comprar deputado?"

Abertura da caravana Lula por Minas Gerais, em Ipatinga. Em defesa da Soberania Nacional. #LulaPeloBrasil #LulaPorMinasGerais Foto Ricardo Stuckert
Abertura da caravana Lula por Minas Gerais, em Ipatinga. Em defesa da Soberania Nacional. #LulaPeloBrasil #LulaPorMinasGerais Foto Ricardo Stuckert (Foto: Giuliana Miranda)

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer na noite desta terça-feira 24, em discurso na cidade de Governador Valadares (MG), que há um movimento para impedir, pela via judicial, que ele dispute as eleições de 2018.

"Eles não conseguem me parar através das urnas, eles vão tentar me parar através da Justiça", disse. "Não sei o que vai acontecer no ano que vem", acrescentou.

"Se alguém quiser que eu não seja candidato a presidente, só tem um jeito: tenha coragem, crie um partido político, seja candidato e vá me derrotar nas urnas", afirmou ainda o ex-presidente, que lidera as pesquisas de intenção de voto.

O ato teve como foco a defesa pela recuperação do Rio Doce, que virou lama após a tragédia da mineradora Samarco, que deixou 19 mortes e severos danos ambientais em Minas e no Espírito Santo. O ex-presidente cobrou investimentos do governo federal na região e criticou a empresa.

Na manhã desta quarta-feira 25, Lula deu entrevista à rádio Teófilo Otoni, em que comentou a votação da segunda denúncia contra Temer, que pode acontecer hoje. "O Temer gastou pra aprovar a PEC de limite de gastos. Por que ele não limita os gastos pra comprar deputado?", ironizou.

Contra o golpe, Lula declarou: "eles fizeram essa guerra contra a Dilma, a imprensa engoliu as mentiras e ela foi cassada. Estamos vendo como ficou com o Temer. Tem muita gente envergonhada".

Ele voltou a dizer que será "Lulinha paz e amor sempre", mas que será "mais duro com aqueles que fazem mal pra esse país". Se voltar à presidência, Lula prometeu "fazer a democratização dos meios [de comunicação]". "O dono do jornal tem direito a escrever um editorial, mas não de mentir nas informações", criticou.

Assista à íntegra da entrevista:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247