Lula fará pronunciamento histórico em São Bernardo

Condenado sem provas por Sergio Moro, por reformas executadas pela OAS num imóvel localizado em São Paulo, que jamais poderia ter sido julgado no Paraná, o ex-presidente Lula fará um pronunciamento histórico nesta tarde; Lula falará sobre a caçada implacável que vem sendo movida contra ele e sobre sua provável decisão de não se render a uma ordem de prisão ilegal, decidida antes mesmo do trânsito em julgado em segunda instância; a fala é esperada para um ato em São Bernardo marcado para as 15h, e pode acontecer pouco depois disso

Lula fará pronunciamento histórico em São Bernardo
Lula fará pronunciamento histórico em São Bernardo (Foto: Ricardo Stuckert)

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará um pronunciamento a aliados e simpatizantes que estão na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, em ato marcado para as 15h. O discurso pode acontecer por volta de 16h. A manifestação foi marcado pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que reúne CUT, MST, MTST e mais de 100 entidades e partidos políticos.

O ato em São Bernardo nesta tarde faz parte da programação da Vigília da Democracia, que não tem data para acabar e acontece em frente à sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, onde Lula passou a noite e está deste que Sergio Moro ordenou prendê-lo de forma ilegal. Segundo a CUT, "militantes vão ficar em vigília permanente enquanto for necessário, em frente ao sindicato, resistindo contra a prisão de Lula".

As informações são de que Lula não deve se entregar na Polícia Federal em Curitiba, como ordenou Moro, dando prazo até 17h desta sexta. A defesa de Lula aguarda uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) sobre um pedido de habeas corpus feito nesta manhã. O recurso está nas mãos do ministro Félix Fischer.

No pedido, os advogados argumentam que a prisão não poderia ter sido decretada antes de esgotados todos os recursos junto ao TRF-4. A defesa ainda pretende apresentar embargos aos embargos de declaração que foram rejeitados pela corte na semana passada.

Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele teria recebido o tríplex como propina paga pela empreiteira OAS em troca de contratos na Petrobras. Lula lidera as pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial de outubro, mas deve ficar impedido de disputar por causa da Lei da Ficha Limpa que determina a inelegibilidade de condenados por órgãos colegiados da Justiça.

Com informações da CUT e da Reuters

Ao vivo na TV 247 Youtube 247