Lula: prendam quem roubou, mas não destruam a indústria nacional

Em novo discurso em Alagoas, terceiro estado da caravana pelo Nordeste, o ex-presidente Lula pediu nesta quarta-feira 23 para que o combate à corrupção no Brasil não destrua as nossas empresas; "Para acabar com a corrupção você não pode acabar com as empresas, você prende o empresário e deixa os trabalhadores que precisam de salário", destacou; "Eles acabaram com o Farmácia Popular, querem vender a Eletrobras e querem destruir a engenharia brasileira a pretexto de combater corrupção", disse Lula; assista à íntegra

Em novo discurso em Alagoas, terceiro estado da caravana pelo Nordeste, o ex-presidente Lula pediu nesta quarta-feira 23 para que o combate à corrupção no Brasil não destrua as nossas empresas; "Para acabar com a corrupção você não pode acabar com as empresas, você prende o empresário e deixa os trabalhadores que precisam de salário", destacou; "Eles acabaram com o Farmácia Popular, querem vender a Eletrobras e querem destruir a engenharia brasileira a pretexto de combater corrupção", disse Lula; assista à íntegra
Em novo discurso em Alagoas, terceiro estado da caravana pelo Nordeste, o ex-presidente Lula pediu nesta quarta-feira 23 para que o combate à corrupção no Brasil não destrua as nossas empresas; "Para acabar com a corrupção você não pode acabar com as empresas, você prende o empresário e deixa os trabalhadores que precisam de salário", destacou; "Eles acabaram com o Farmácia Popular, querem vender a Eletrobras e querem destruir a engenharia brasileira a pretexto de combater corrupção", disse Lula; assista à íntegra (Foto: Gisele Federicce)

Alagoas 247 - O ex-presidente Lula foi recepcionado em um ato nesta quarta-feira 23 no Clube Fênix Alagoana, na capital de Alagoas, terceiro estado de sua caravana pelo Nordeste.

Em novo discurso, ele fez um apelo para que o combate à corrupção no Brasil não destrua as nossas empresas. "Combatam a corrupção, prendam quem roubou, mas não destruam a indústria nacional. Se vamos comprar tudo de fora, onde vamos trabalhar?", pediu.

"Para acabar com a corrupção você não pode acabar com as empresas, você prende o empresário e deixa os trabalhadores que precisam de salário", destacou Lula.

"Eles acabaram com o Farmácia Popular, querem vender a Eletrobras e querem destruir a engenharia brasileira a pretexto de combater corrupção", afirmou ainda, em referência ao governo de Michel Temer.

Lula destacou os feitos de seu governo na região e disse não se conformar com o retrocesso após o golpe que tirou Dilma Rousseff do poder.

"Depois do que fizemos no Brasil, depois das conquistas, do emprego, das cisternas, da compra garantida da agricultura familiar, eu não me conformo com a destruição que esse governo golpista está fazendo no Brasil", lamentou.

Assista abaixo à íntegra do discurso:

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247