Madrasta a Bernardo: 'melhor cadeia do que você'

Um vídeo obtido pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul prova, de vez, que Graciele Ugulini, madrasta do garoto Bernado Uglione, de 11 anos, é culpada pela morte do menino, encontrado em abril deste ano dentro de um saco plástico, na cidade de Frederico Westphalen, no Norte gaúcho; conforme o vídeo, no meio de uma discussão, ela disse: "tu não sabe do que eu sou capaz. Eu prefiro apodrecer na cadeia do que ficar vivendo nesta casa contigo incomodando"; ela, o pai do garoto, Leandro Boldrini, e mais duas pessoas estão presas

Um vídeo obtido pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul prova, de vez, que Graciele Ugulini, madrasta do garoto Bernado Uglione, de 11 anos, é culpada pela morte do menino, encontrado em abril deste ano dentro de um saco plástico, na cidade de Frederico Westphalen, no Norte gaúcho; conforme o vídeo, no meio de uma discussão, ela disse: "tu não sabe do que eu sou capaz. Eu prefiro apodrecer na cadeia do que ficar vivendo nesta casa contigo incomodando"; ela, o pai do garoto, Leandro Boldrini, e mais duas pessoas estão presas
Um vídeo obtido pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul prova, de vez, que Graciele Ugulini, madrasta do garoto Bernado Uglione, de 11 anos, é culpada pela morte do menino, encontrado em abril deste ano dentro de um saco plástico, na cidade de Frederico Westphalen, no Norte gaúcho; conforme o vídeo, no meio de uma discussão, ela disse: "tu não sabe do que eu sou capaz. Eu prefiro apodrecer na cadeia do que ficar vivendo nesta casa contigo incomodando"; ela, o pai do garoto, Leandro Boldrini, e mais duas pessoas estão presas (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 – Um vídeo obtido pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul prova, de vez, que Graciele Ugulini, madrasta do garoto Bernado Uglione, de 11 anos, é culpada pela morte do menino, encontrado em abril deste ano dentro de um saco plástico, na cidade de Frederico Westphalen, no Norte do Rio Grande do Sul. Ela está presa, assim como o pai do jovem, Leandro Boldrini.

Conforme o vídeo, Graciele e Bernardo discutiam, em agosto de 2013, na casa da família, em Três Passos, Noroeste gaúcho. O menino afirma que a madrasta bateu nele. Em um trecho da gravação, ela diz ao garoto: "tu não sabe do que eu sou capaz. Eu prefiro apodrecer na cadeia do que ficar vivendo nesta casa contigo incomodando. Tu não sabe do que eu sou capaz".

Após a discussão, a Brigada Militar foi acionada. Ainda não se sabe quem chamou os militares, porém o fato é que o vídeo mostra agressões ameaçadas feitas por Graciele ao menino, o que vai aumentar a punição dela. Nesta terça-feira (26), o Rio Grande do Sul 247 já havia publicado uma matéria sobre a ameaça de morte feita por Graciele ao garoto: "nós vamos ver quem vai para baixo da terra primeiro".

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Caroline Bamberg, o vídeo foi gravado por Graciele para demonstrar o comportamento agressivo de Bernardo.

O pai do garoto, Leandro Boldrini, presenciou a briga entre o seu filho e a madrasta do menino. Segundo o vídeo, após Bernardo gritar "socorro", Leandro questionou: "Quem que começou a bagunça"?

O advogado de Boldrini, Jader Marques, confessou que o vídeo revela o péssimo relacionamento entre pai e filho, porém, de acordo com ele, a gravação não é suficiente para vincular o seu cliente ao crime.

Além de Leandro e Graciele, estão presos a assistente social Edelvania Wirganovicz e seu irmão Evandro Wirganovicz. Ao todo, 77 pessoas prestarão depoimento antes do julgamento dos quatro indiciados, que pode ou não ocorrer em Júri Popular, ainda sem data prevista. O Ministério Público convidou 25 testemunhas, e as defesas, 52.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247