Manifestantes ocupam prefeitura de Belo Horizonte

Principal reivindicação é que sejam encerradas as remoções de famílias das comunidades ocupadas, assim como de moradores que vivem em áreas onde são feitas obras de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014; grupo exige também moradia e água e energia elétrica para os terrenos já ocupados pelos sem teto; não está descartada a possibilidade de que os manifestantes acampem na sede do Legislativo; prefeitura, por sua vez, já acenou com uma reunião no próximo dia 8 de agosto. Os manifestantes exigem um encontro imediato

Manifestantes ocupam prefeitura de Belo Horizonte
Manifestantes ocupam prefeitura de Belo Horizonte
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

MG 247 – A prefeitura de Belo Horizonte foi ocupada nesta segunda-feira (29) por cerca de cem integrantes de movimentos populares, que reivindicam audiência com o prefeito Marcio Lacerda (PSB). O grupo é formado principalmente por moradores das comunidades Dandara e Eliana Silva, em áreas de ocupação, e por integrantes das Brigadas Populares e do Movimento de Lutas nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB). Aos poucos, os manifestantes furaram o esquema de segurança da Guarda Municipal e subiram até o segundo andar do prédio da prefeitura.

A principal reivindicação é que sejam encerradas as remoções de famílias das comunidades ocupadas, assim como de moradores que vivem em áreas onde são feitas obras de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014. O grupo exige também moradia e água e energia elétrica para os terrenos já ocupados pelos sem teto. Não está descartada a possibilidade de que os manifestantes acampem na sede do Legislativo. A prefeitura, por sua vez, já acenou com uma reunião no próximo dia 8 de agosto. Os manifestantes exigem um encontro imediato. Sob alegação de questão de segurança, a sede da prefeitura foi fechada e guardas municipais impedem a entrada de alimentos e líquidos para os manifestantes. Há aproximadamente 200 manifestantes fora do prédio.

É a segunda vez em menos de um mês que Lacerda enfrenta ato semelhante. No início do mês, manifestantes insatisfeitos com o valor da passagem do ônibus e com a política de transporte da cidade ocuparam o prédio da Câmara Municipal. O acampamento durou uma semana e só foi desfeito depois que o prefeito anunciou uma redução de R$ 0,15 no bilhete da passagem.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247