Márcio: Edvaldo e Eliane farão administração histórica em Aracaju

O secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT, Márcio Macêdo, destacou, em entrevista, nesta sexta (4), a vitória de Edvaldo Nogueira (PCdoB) e de Eliane Aquino (PT), na disputa pela prefeitura de Aracaju - eleitos prefeito e vice-prefeita; para ele, Edvaldo e Eliane “farão uma grande administração” na capital sergipana; Márcio ainda pontuou que a vice-prefeita eleita se torna assim a “mais nova liderança política do PT de Sergipe”; o dirigente também defendeu que o partido faça uma reflexão sobre o desempenho eleitoral neste ano, com o objetivo de “encontrar o caminho da reconstrução”

O secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT, Márcio Macêdo, destacou, em entrevista, nesta sexta (4), a vitória de Edvaldo Nogueira (PCdoB) e de Eliane Aquino (PT), na disputa pela prefeitura de Aracaju - eleitos prefeito e vice-prefeita; para ele, Edvaldo e Eliane “farão uma grande administração” na capital sergipana; Márcio ainda pontuou que a vice-prefeita eleita se torna assim a “mais nova liderança política do PT de Sergipe”; o dirigente também defendeu que o partido faça uma reflexão sobre o desempenho eleitoral neste ano, com o objetivo de “encontrar o caminho da reconstrução”
O secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT, Márcio Macêdo, destacou, em entrevista, nesta sexta (4), a vitória de Edvaldo Nogueira (PCdoB) e de Eliane Aquino (PT), na disputa pela prefeitura de Aracaju - eleitos prefeito e vice-prefeita; para ele, Edvaldo e Eliane “farão uma grande administração” na capital sergipana; Márcio ainda pontuou que a vice-prefeita eleita se torna assim a “mais nova liderança política do PT de Sergipe”; o dirigente também defendeu que o partido faça uma reflexão sobre o desempenho eleitoral neste ano, com o objetivo de “encontrar o caminho da reconstrução” (Foto: Valter Lima)

Sergipe 247 - O secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT, Márcio Macêdo, destacou, em entrevista, nesta sexta-feira (4), à rádio MIX FM, a vitória de Edvaldo Nogueira (PCdoB) e de Eliane Aquino (PT), na disputa pela prefeitura de Aracaju - eleitos prefeito e vice-prefeita. Para ele, Edvaldo e Eliane “farão uma grande administração” na capital sergipana. Márcio ainda pontuou que a vice-prefeita eleita se torna assim a “mais nova liderança política do PT de Sergipe”. O dirigente também defendeu que o partido faça uma reflexão sobre o desempenho eleitoral neste ano, com o objetivo de “encontrar o caminho da reconstrução”.

“A vitória de Edvaldo Nogueira e Eliane Aquino se deve à consistência do projeto que eles apresentaram aos aracajuanos. Edvaldo tinha o que mostrar. Além da sua capacidade de realização, ele faz parte de um projeto que foi bem sucedido na capital. Com Eliane, eles carregaram um legado e uma lembrança da competência das gestões de Déda e do próprio Edvaldo. A população sentiu segurança na experiência de Edvaldo, na consistência do grupo que ele está liderando em Aracaju e na certeza de que ele poderá concretizar aquilo que prometeu na campanha”, ressaltou Márcio. Para ele, “os aracajuanos recusaram o acordão que se construiu em torno da candidatura de Valadares Filho”.

Ao tratar do papel de Eliane Aquino, o secretário nacional disse que ela “foi uma surpresa agradabilíssima” do pleito deste ano. “Eliane nos dá muita alegria. Sua generosidade, seu compromisso com o PT e com o legado que carrega de Déda. Fez uma campanha bonita, limpa, com uma disciplina na rua muito forte. Ela ajudou muito na vitória de Edvaldo. Eliane Aquino é hoje a mais nova expressão política do PT de Sergipe. As urnas disseram isso”, pontuou.

Para Márcio, “caberá a Edvaldo e a Eliane enfrentar os problemas de Aracaju e conduzir os destinos da cidade”. “É muito triste ver Aracaju abandonada. Lamentável João Alves encerrar sua carreira assim. Ele abandonou a cidade, é uma tragédia, um desastre, o lixo toma conta das ruas, a Saúde está definhando, a Educação está numa situação difícil. Edvaldo e Eliane terão um grande desafio. Mas acredito na capacidade e na competência deles. Edvaldo e Eliane farão história em Aracaju”, reforçou.

Apoio a Edvaldo

O secretário nacional de Finanças do PT foi uma das primeiras lideranças do partido a declarar oficialmente apoio à candidatura de Edvaldo Nogueira. Em 22 de junho deste ano, em entrevista ao programa de Gilmar Carvalho, Márcio anunciou que defenderia o apoio do PT a Edvaldo. “Optei por Edvaldo Nogueira por convicção, por acreditar na sua experiência, para resgatar projetos que deram certo e inovar como já fez no passado. Estou aqui para ajudar o prefeito eleito a conduzir os destinos da cidade e a fortalecer a liderança dele”, destacou.

Ele ainda defendeu que Edvaldo Nogueira tenha “autonomia e liberdade” para compor o seu governo. “A discussão sobre composição do governo deve ser feita pelo prefeito eleito. Ele quem tem as credenciais das urnas e do povo para montar o governo e fazer isto de forma livre e soberana. É natural que no processo de eleições democráticas que as forças políticas que compõem a coligação e ajudam a vencer integrem a administração e ajudem a governar. Mas repito: estamos aqui para fortalecer a liderança dele, para que ele tenha autonomia e força política para conduzir os destinos da cidade”, reiterou.

PT

Márcio afirmou que o PT deve fazer uma reflexão sobre os resultados eleitorais alcançados neste ano e criar as condições para se reconstruir no Estado. “O PT estadual deve fazer um debate profundo sobre seus problemas, sobre a condução da direção. Tem que analisar com calma. Neste momento difícil temos que ter coragem de enfrentar as dificuldades, dentro dos nossos princípios. A obra realizada pelo nosso partido, com Marcelo Déda, é muito consistente. Então, de forma respeitosa precisamos fazer um balanço e uma autocrítica deste momento do PT. O resultado eleitoral ficou aquém daquilo que esperávamos. Isto precisa ser discutido”, disse.

Neste ano, o PT elegeu três prefeitos, e 34 vereadores, o que recoloca a sigla no Estado à posição que ocupou no início da década passada. Em 2000, foram eleitos dois prefeitos e 18 vereadores. Em 2004, foram 5 prefeitos e 34 vereadores. Quatro anos depois, o partido obteve o comando de oito prefeituras e 67 vagas nas câmaras municipais. Em 2012, foram eleitos 8 prefeitos e 55 vereadores.

“Temos que ter humildade para avaliar a situação do partido no país. Temos um patrimônio político que não pode ser desprezado. O PT é partido do Bolsa Família, do Prouni, do Fies, do Minha Casa Minha Vida, do Mais Médicos, de projetos que precisam ser levados adiante. Somos perseguidos muito mais pelos nossos acertos do que pelos erros de algumas lideranças. Há um ódio e intolerância contra o PT, então incomoda destacarmos os acertos do partido em prol do país. O que existe é um processo para impedir que Lula dispute a eleição de 2018”, alertou.

Futuro político

Ao longo da eleição deste ano, Márcio Macêdo teve participação ativa na campanha tanto na capital como no interior. Oito prefeitos apoiados por ele foram eleitos, além de dois vices e vários vereadores. “Houve ainda 13 candidatos a prefeito que, embora não tenham sido eleitos, obtiveram votação expressiva e estão ao nosso lado. De modo, que estou à disposição da nossa legenda para contribuir com o meu Estado e com o país, e, em sendo a vontade do povo, voltar a exercer o mandato de deputado federal”, disse.

JB

Questionado sobre o posicionamento tomado pelo governador Jackson Barreto após o resultado eleitoral do último domingo, Márcio Macêdo disse que compreendia as críticas feitas por ele. “Ele foi humilhado nesta eleição. Então a reação dele é natural, própria do estilo do governador. Eu me solidarizo com o governador. Ele é o líder político do projeto do qual o PT faz parte”, ponderou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247