Marconi quer governo mais próximo dos prefeitos

No Seminário Integração Governo e Municípios, no Centro Cultural Oscar Niemeyer, governador recomendou a todos os integrantes do governo a abrirem as portas dos gabinetes e se aproximarem mais dos prefeitos e dos vereadores; Marconi disse que o governo de Goiás negocia junto a instituições bancárias a retomada da operação de crédito de R$ 400 milhões, interrompida no fim de 2014, para a construção de obras no Estado ainda neste ano; “Nesse momento, nós vamos continuar com muito rigor em relação aos gastos"

No Seminário Integração Governo e Municípios, no Centro Cultural Oscar Niemeyer, governador recomendou a todos os integrantes do governo a abrirem as portas dos gabinetes e se aproximarem mais dos prefeitos e dos vereadores; Marconi disse que o governo de Goiás negocia junto a instituições bancárias a retomada da operação de crédito de R$ 400 milhões, interrompida no fim de 2014, para a construção de obras no Estado ainda neste ano; “Nesse momento, nós vamos continuar com muito rigor em relação aos gastos"
No Seminário Integração Governo e Municípios, no Centro Cultural Oscar Niemeyer, governador recomendou a todos os integrantes do governo a abrirem as portas dos gabinetes e se aproximarem mais dos prefeitos e dos vereadores; Marconi disse que o governo de Goiás negocia junto a instituições bancárias a retomada da operação de crédito de R$ 400 milhões, interrompida no fim de 2014, para a construção de obras no Estado ainda neste ano; “Nesse momento, nós vamos continuar com muito rigor em relação aos gastos" (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - O governador Marconi Perillo disse na manhã de hoje, em discurso durante a abertura do Seminário Integração Governo e Municípios, no Centro Cultural Oscar Niemeyer, que recomendou a todos os integrantes do governo a abrirem as portas dos gabinetes e se aproximarem mais dos prefeitos e dos vereadores. Informou que o Governo de Goiás negocia junto a instituições bancárias a retomada da operação de crédito de R$ 400 milhões, interrompida no fim de 2014, para a construção de obras no Estado ainda neste ano.

“Tínhamos a expectativa da viabilização de uma operação de crédito, mas o banco não conseguiu apresentar a documentação e, no fim de dezembro, essa operação foi desfeita. A secretária Ana Carla Abrão (Sefaz), com o meu apoio e o do secretário Simão (Cirineu), que fica no nosso escritório em Brasília, tem trabalhado arduamente nesse sentido. Ontem mesmo, ela esteve em São Paulo tratando disso, para reativarmos a operação de crédito. Com parte desse dinheiro nós vamos dar sequência nas parcerias da Agetop, pelo Rodovida Urbano, e da antiga AGDR, que está hoje na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, àquelas obras que foram direcionadas ao desenvolvimento regional”, discursou.

Segundo o governador, caso a operação de crédito seja viabilizada, o foco dos investimentos será direcionado ao cumprimento da agenda que foi estabelecida com os prefeitos no ano passado. “Nesse momento, nós vamos continuar com muito rigor em relação aos gastos. Então, essas coisas vão andando e a prioridade, quando fizermos a operação de crédito, é terminar os convênios que já foram feitos. Depois disso, quando tivermos novas perspectivas, vamos celebrar novas pactuações com cada um dos prefeitos e prefeitas, que são nossos parceiros na administração”, afirmou Marconi.

Para o próximo ano, ele acredita que, em parceria com o Ministério da Fazenda, conseguirá viabilizar recursos para novos investimentos. “Tenho certeza que, pela relação que a secretária Ana Carla tem com ele (ministro da Fazenda, Joaquim Levy) e com a equipe, nós vamos construir, para o fim do ano, uma agenda positiva e eu tenho certeza que o governo federal vai abrir novas operações para que a economia seja reaquecida.”

Ressaltando as medidas adotadas pelo governo estadual desde o fim de 2014, com o objetivo de amenizar em Goiás os impactos da crise econômica nacional, o governador disse acreditar que Goiás possa sair na frente entre os demais Estados na conquista de empréstimos. “Neste aspecto, com nosso dever de casa pronto, com esse ajuste fiscal que está em andamento, nós vamos ter condições de, quem sabe, sermos o primeiro Estado a contrair novas operações. E esses recursos vão ser utilizados para conclusão das obras estaduais e para novas parcerias com os prefeitos.”

Audiências

Ainda em discurso, Marconi afirmou que, junto com o vice-governador José Eliton, já recebeu mais de 100 prefeitos em audiências no Palácio Pedro Ludovico Teixeira e que pretende receber todos os demais, independentemente de bandeira partidária.

Ele ressaltou que, até 2014, o Governo de Goiás celebrou convênios com praticamente todos os prefeitos. “Algumas obras, fruto dessas parcerias, foram concluídas, outras estão em andamento, outras paralisadas, por conta das chuvas, mas o fato é que estabelecemos esses convênios.”

Disse também que orientou todos os secretários estaduais a atenderem as solicitações de audiências dos prefeitos. “Todos nós aqui no governo estamos prontos para dar a melhor da nossa atenção. Às vezes a pessoa fica insatisfeita quando a gente diz um ‘não’ respeitoso. Às vezes a gente vai dar um ‘não’ educado, mas queremos dar muitos ‘sim’ daqui para frente naquilo que for essencialmente prioridade para cada dos municípios que vocês representam”, afirmou Marconi.

De acordo com o governador, foi repassada ao secretariado a recomendação de que todos definam ao menos uma pessoa para atender as demandas políticas e do setor público em cada pasta. “Nós vamos continuar com as portas abertas no governo para todos. Todos estão no governo com um único propósito: cumprir nossos compromissos, nosso programa de governo, atender bem a todos, dar atenção a todos os companheiros. Os secretários muitas vezes têm muitos compromissos, a própria agenda administrativa, e não têm como atender a toda hora, de forma muito justa, os prefeitos que os procuram. Mas se cada um tem um assessor, alguém designado para atender bem, o assunto vai ser resolvido”, atestou.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247