Maria do Rosário: as mulheres sabem quem pode fazer mais por elas

"As mulheres sabem quem já fez e pode fazer mais por elas e por seus direitos. É Lula, Haddad e Manuela D'Ávila para transformar esse Brasil num país feliz de novo. A mulherada vai vencer!", afirmou a deputada do PT-RS

Maria do Rosário: as mulheres sabem quem pode fazer mais por elas
Maria do Rosário: as mulheres sabem quem pode fazer mais por elas (Foto: Esq.: Lúcio Bernardo Jr. - Câmara / Dir.: Stuckert)

Rio Grande do Sul 247 - A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) usou sua conta no Twitter para saudar a chapa presidencial do seu partido, especialmente no que diz respeito a políticas voltadas para as mulheres.

"As mulheres sabem quem já fez e pode fazer mais por elas e por seus direitos. É Lula, Haddad e Manuela D'Ávila para transformar esse Brasil num país feliz de novo. A mulherada vai vencer!", escreveu a parlamentar no Twitter. "Eu também vou participar do #Desafio Unidas Nas Ruas. Vamos juntas e juntos combater o ódio, o machismo e a intolerância! Participe dos atos em todo o Brasil no dia 29/09 e no dia 07 de outubro, vote 13!", complementou.

No próximo da 29 ocorre na cidade de São Paulo um protesto contra a chapa presidencial encabeçada pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e seu vice, o general Hamilton Mourão (PRTB). A mobilização ocorre no Largo da Batata, no bairro de Pinheiros, zona oeste da cidade de São Paulo. Também há protestos marcados em outros municípios, como Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS).

O repúdio à chapa aumentou nas últimas semanas, após o vice de Bolsonaro afirmar que o narcotráfico recruta jovens de famílias pobres "sem avô e pai, mas com avó e mãe". "A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais. Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, mas sim mãe e avó. Por isso, é uma fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narco-quadrilhas", disse Mourão.

O presidenciável do PSL também já demonstrou a sua misoginia, como "eu tenho 5 filhos. Foram 4 homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher". A declaração foi concedida em palestra na Hebraica, no Rio de Janeiro, em abril do ano passado.

Em 2014, o parlamentar disse que não estupraria a colega Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merecia. "Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece", afirmou o congressista, após a parlamentar defender vítimas da Ditadura Militar (1964-1985).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247