Mauro Lopes: filósofos Cavani e Suárez criam tabela de 50 metros no futebol

Mauro Lopes, editor do 247, escreve sobre a vitória do Uruguai: segundo Nietzsche, os filósofos criam; foi o que fizeram Cavani e Suárez, com uma tabela inacreditável de 50 metros; a Copa prometia o trio Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar; os dois primeiros já se foram e o terceiro ainda não chegou; recebemos até agora o trio Mbappé, Cavani e Suárez; não há do que reclamar

Mauro Lopes: filósofos Cavani e Suárez criam tabela de 50 metros no futebol
Mauro Lopes: filósofos Cavani e Suárez criam tabela de 50 metros no futebol

De Mauro Lopes, em seu Facebook- Para Nietzsche, o que faz de alguém um filósofo é a capacidade de criar; a trilha do conhecimento para o ser humano é a criação. No futebol, o que diferencia o craque de um bom jogador? Os bons jogadores de futebol são competentes na maioria dos fundamentos do esporte, erram pouco, são eficientes. Os craques criam, abrem novas fronteiras criando onde nada havia.

Assim foi com Cavani e Suárez no primeiro gol do Uruguai contra Portugal: criaram uma tabela de 50 metros! No futebol, até hoje, definia-se tabela como a troca de passes entre dois jogadores num espaço relativamente reduzido do campo. Um toca para o outro, que devolve, e o primeiro atira. Hoje, Cavani tocou a bola para Suárez; não foi um lançamento -foi um “toque”; mas seu companheiro estava a 52 metros! Suárez devolveu com outro “toque” -de 30 metros! Gol. Um lance para ver e rever muitas vezes, antológico.

Quanto à partida, portugueses e uruguaios tiveram uma missão difícil: como encantar em plena ressaca do histórico jogo entre França e Argentina? Estávamos todos e todas que assistimos os dois jogos ainda inebriados e com este cansaço típico depois de momentos de emoção intensa, de comoção.

O jogo foi morno no primeiro tempo, mas será que os corações aguentariam outra disputa como aquela em que Mbappé, um menino de 19 anos, surgiu como candidato a melhor da Copa, com uma atuação que lembrou a de Pelé na final de 1958, a quatro meses de completar 18 anos?

No segundo tempo Portugal partiu para cima dos uruguaios, quando já estávamos mais recompostos da emoção franco-portenha e, aos 9 minutos, empatou. A celebração durou apenas 7 minutos, quando Cavani fez outro gol maravilhoso.

Se Cavani, que saiu contundido aos 26 do segundo tempo, não puder jogar, a situação para nossos vizinhos do pequenino Uruguai pode se complicar. Eles são apenas 3,5 milhões de habitantes, menos que a zona leste de São Paulo. Mas que seleção!

Os uruguaios talvez não sejam favoritos como a França. Mas decretar uma vitória antecipada dos gauleses na quarta de final entre as duas seleções na sexta-feira é temerário -isso se  Cavani jogar; pois os filósofos uruguaios, quando juntos, criam -mas só quando juntos.

Mbappé e Grizman de um lado, Cavani e Suárez de outro. E poderemos testemunhar ao vivo!

A Copa prometia o trio Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar. Os dois primeiros já se foram e o terceiro ainda não chegou. Recebemos até agora o trio Mbappé, Cavani e Suárez. Nenhuma reclamação, não é?

PS:O MELHOR DA COPA: As arrancadas de Mbappé, os gols de Lukaku, as defesas fantásticas de Ochoa são cenas que maravilham. ste gesto (logo abaixo) de Cristiano Ronaldo quando seu time perdia por 2 a 1, resultado que desclassificava Portugal (como desclassificou) integra a coleção dos melhores momentos da Copa. Cavani tinha se machucado, no que parece ser uma lesão muscular. Em vez de xingá-lo, pressionar o juiz, fazer cara feia, CR7 ajudou o adversário a se levantar e amparou-o lentamente até a saída do campo. Impossível não lembrar a postura de Neymar, hostilizando, agredindo, xingando. A cena de Cristiano Ronaldo é um dos melhores momentos da Copa, ao lado das arrancadas, dos gols, das defesas. As cenas de Neymar estão entre os piores.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247