Médicos mantêm 30% dos serviços no PAM

Apesar da decisão judicial para que os médicos garantam pelo menos 50% dos serviços, apenas 30% dos serviços estão sendo disponibilizados no PAM Salgadinho, em Maceió; é que o posicionamento do desembargador Tutmés Airan ainda não chegou oficialmente à entidade; já os servidores das áreas técnicas e administrativas também não descartam a possibilidade de deflagrar greve por tempo indeterminado

Apesar da decisão judicial para que os médicos garantam pelo menos 50% dos serviços, apenas 30% dos serviços estão sendo disponibilizados no PAM Salgadinho, em Maceió; é que o posicionamento do desembargador Tutmés Airan ainda não chegou oficialmente à entidade; já os servidores das áreas técnicas e administrativas também não descartam a possibilidade de deflagrar greve por tempo indeterminado
Apesar da decisão judicial para que os médicos garantam pelo menos 50% dos serviços, apenas 30% dos serviços estão sendo disponibilizados no PAM Salgadinho, em Maceió; é que o posicionamento do desembargador Tutmés Airan ainda não chegou oficialmente à entidade; já os servidores das áreas técnicas e administrativas também não descartam a possibilidade de deflagrar greve por tempo indeterminado (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - Os médicos que atuam no PAM Salgadinho continuam em greve e realizando apenas 30% dos serviços na unidade de saúde nesta segunda-feira (17). De acordo com o sindicato da categoria, a decisão do desembargador Tutmés Airan, que determinou que os médicos garantissem pelo menos 50% dos serviços, ainda não chegou oficialmente à entidade.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed), Wellington Galvão, a categoria vai realizar uma assembleia nesta noite com o objetivo de avaliar o movimento. Apesar, disso, ele destaca que o retorno aos trabalhos está descartado caso a Prefeitura Municipal de Maceió não adote medidas que garantam a melhoria das condições de trabalho na unidade de saúde.

"A notificação oficial do TJ ainda não chegou oficialmente ao sindicato e apenas 30% dos serviços estão sendo mantidos. Não temos condições de voltar ao trabalho na situação atual em que o PAM se encontra. Queremos uma solução porque a saúde está sendo colocada em último plano", pontuou o representante da categoria.

Enquanto a greve dos médicos continua por tempo indeterminado, os servidores das áreas técnicas e administrativas, que realizaram uma mobilização na última semana, estão trabalhando normalmente nesta segunda-feira. Eles aguardam, até esta terça-feira (18), uma reunião com a secretária municipal de Saúde, Silvana Medeiros, para discutir a situação do PAM Salgadinho.

Independentemente do que for decidido no encontro, os servidores públicos municipais convocaram, para a próxima sexta-feira (21), uma assembleia para discutir, entre outras coisas, as condições precárias do PAM. Eles não descartam a possibilidade de deflagrar greve por tempo indeterminado.

A assembleia acontece no Sindicato dos Bancários, às 9h.

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email