Mendonça Filho volta a ser escrachado e chamado de golpista

Durante inauguração da Policlínica da Univasf, nesta sexta-feira (17) estudantes e professores da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) realizaram um protesto contra o Ministério da Educação, que não convidou e nem permitiu a entrada dos estudantes no evento; “Queríamos o direito de inaugurar a nossa policlínica, ela foi feita para os estudantes na Univasf, então enquanto povo, enquanto população não teve convite ao DCE, ao coordenador do colegiado de medicina, aos estudantes e a população externa. Policlínica para quem? Para que povo?”, questionou a estudante de biologia da Univasf, Jéssica Albuquerque; vídeo

Brasília - O ministro da Educação, José Mendonça Bezerra Filho,dá posse hoje aos novos membros do Conselho Nacional de Educação. (Antônio Cruz/AgênciaBrasil)
Brasília - O ministro da Educação, José Mendonça Bezerra Filho,dá posse hoje aos novos membros do Conselho Nacional de Educação. (Antônio Cruz/AgênciaBrasil) (Foto: Leonardo Attuch)

Do blog de Waldiney Passos Durante inauguração da Policlínica da Univasf, nesta sexta-feira (17) estudantes e professores da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) realizaram um protesto contra o Ministério da Educação, que não convidou e nem permitiu a entrada dos estudantes no evento.

A solenidade contou com a participação de diversos políticos da região e do Ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM). Entretanto, os estudantes e professores da universidade afirmaram que não foram convidados para a cerimônia.

“Queríamos o direito de inaugurar a nossa policlínica, ela foi feita para os estudantes na Univasf, então enquanto povo, enquanto população não teve convite ao DCE, ao coordenador do colegiado de medicina, aos estudantes e a população externa. Policlínica para quem? Para que povo?”, questionou a estudante de biologia da Univasf, Jéssica Albuquerque.

Questionado sobre o protesto o Ministro da Educação, Mendonça Filho acredita que os estudantes estão protestando devido a ligação com partidos de oposição ao governo. “Eu acho que o direito ao protesto é um direito legítimo e democrático, agora quem quer protestar não protesta dentro de um espaço onde está acontecendo uma solenidade de inauguração. Pela primeira vez na vida, eu vi um protesto que é por conta de que estamos investindo na comunidade e entregando uma obra de R$ 9 milhões, que passou anos paralisada. Por conta do engajamento político de alguns, vinculados ao PT, PSOL, PSTU e partidos que manipulam parte dos estudantes brasileiros é que entregamos a obra a comunidade e eles continuam protestando. No passado a obra estava paralisada e eles não protestavam”, afirmou ministro.

Durante o evento, manifestantes cercaram o local e entraram em confronto com a guarda municipal e com policiais que estavam na escolta do ministro. 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247