Menores infratores denunciam maus-tratos

Menores infratores da Unidade de Internação Masculina (UIM),em Maceió, iniciaram uma rebelião para denunciar que os adolescentes estariam sendo espancados e pressionados por agentes terceirizados a iniciar o motim. O objetivo dessas rebeliões, de acordo com as mães, é fazer com que o Estado inicie uma negociação salarial com a categoria

Menores infratores da Unidade de Internação Masculina (UIM),em Maceió, iniciaram uma rebelião para denunciar que os adolescentes estariam sendo espancados e pressionados por agentes terceirizados a iniciar o motim. O objetivo dessas rebeliões, de acordo com as mães, é fazer com que o Estado inicie uma negociação salarial com a categoria
Menores infratores da Unidade de Internação Masculina (UIM),em Maceió, iniciaram uma rebelião para denunciar que os adolescentes estariam sendo espancados e pressionados por agentes terceirizados a iniciar o motim. O objetivo dessas rebeliões, de acordo com as mães, é fazer com que o Estado inicie uma negociação salarial com a categoria (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - Menores infratores da Unidade de Internação Masculina (UIM), no Tabuleiro dos Martins, em Maceió, se rebelaram na manhã desta terça-feira (25) para denunciar supostos maus-tratos sofridos por monitores dentro da instituição.
De acordo com as mães dos adolescentes, que aguardavam informações do lado de fora, os menores infratores estariam sendo espancados e pressionados por agentes terceirizados a iniciar motins dentre da unidade.
O objetivo dessas rebeliões, conforme as mães, é fazer com que o Estado inicie uma negociação salarial com a categoria. Os agentes, no entanto, negam a acusação.
As mães reivindicam uma visita do promotor do Estado para fiscalizar as condições dos alojamentos e uma investigação das denúncias de maus-tratos para que os culpados sejam punidos.
Nesta manhã, os adolescentes subiram no muro e gritaram que a noite os agentes entram bêbados na unidade e os espancam. Eles ainda reclamaram da comida de péssima qualidade e chegaram a jogar uma quentinha com comida azeda.
Funcionários da unidade relataram à reportagem da Gazetaweb que os menores quebraram tudo dentro dos alojamentos e várias celas foram reviradas.

Com gazetaweb.com

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email