Menos de uma semana depois da decisão do STF, racismo na UFMG

Porta de loja em frente ao campus da universidade em BH amanhece pixado com a frase: A UFMG vai ficar preta. Na quinta-feira passada, os ministros do Supremo foram unnimes ao considerar constitucional o sistema de cotas nas universidades pblicas

Menos de uma semana depois da decisão do STF, racismo na UFMG
Menos de uma semana depois da decisão do STF, racismo na UFMG (Foto: Divulgação)

Minas 247 - Menos de uma semana depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter decidido que o sistema de cotas raciais para as universidades públicas é constitucional, surge a primeira manifestação de racismo vinculando os dois fatos.

Ela aconteceu nas portas de uma concessionária de motos em frente ao campus da UFMG, na zona norte de Belo Horizonte. Pessoas ainda não identificadas pixaram a seguinte mensagem no local: “A UFMG vai ficar preta”, numa probabilíssima referência à decisão do Supremo.

Tomada no último dia 26 de abril, ela foi unânime entre os ministros do STF: dez votos favoráveis e nenhum contrário. Eles consideraram constitucional o sistema adotado já em algumas universidades, que concede cotas para ingresso de alunos afrodescendentes nas escolas públicas. Ao proclamar o resultado, o presidente da Corte, Ayres Brito, afirmou: “O Brasil tem mais um motivo para se olhar no espelho da história e não corar de vergonha”.

A UFMG, felizmente, foi rápida e disse repudiar qualquer tipo de discriminaçõa. O caso será encaminhado para o Conselho Universitário, instância máxima da escola.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247