Minas prevê receita de R$ 88 bi para 2016

Governo de Minas Gerais prevê receita de R$ 88 bilhões e meta de superávit primário de R$ 912 milhões para o ano que vem, conforme anunciou o Secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, em coletiva de imprensa; o Executivo garantiu o financiamento de todos os órgãos no mesmo nível de 2014, apesar da contenção de gastos; o dirigente também se mostrou confiante de que o déficit das contas, que é de R$ 3,7 bi, será reduzido e estabilizado nos próximos três anos; "Ainda não será possível zerar esse saldo negativo em 2016, esperamos conseguir em 2017", declarou Magalhães

Governo de Minas Gerais prevê receita de R$ 88 bilhões e meta de superávit primário de R$ 912 milhões para o ano que vem, conforme anunciou o Secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, em coletiva de imprensa; o Executivo garantiu o financiamento de todos os órgãos no mesmo nível de 2014, apesar da contenção de gastos; o dirigente também se mostrou confiante de que o déficit das contas, que é de R$ 3,7 bi, será reduzido e estabilizado nos próximos três anos; "Ainda não será possível zerar esse saldo negativo em 2016, esperamos conseguir em 2017", declarou Magalhães
Governo de Minas Gerais prevê receita de R$ 88 bilhões e meta de superávit primário de R$ 912 milhões para o ano que vem, conforme anunciou o Secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, em coletiva de imprensa; o Executivo garantiu o financiamento de todos os órgãos no mesmo nível de 2014, apesar da contenção de gastos; o dirigente também se mostrou confiante de que o déficit das contas, que é de R$ 3,7 bi, será reduzido e estabilizado nos próximos três anos; "Ainda não será possível zerar esse saldo negativo em 2016, esperamos conseguir em 2017", declarou Magalhães (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Agência Minas - O secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, e o secretário de Estado da Fazenda, José Afonso Bicalho, entregaram nesta sexta-feira (15/5) ao presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Adalclever Lopes, o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para o exercício de 2016. O Governo de Minas Gerais prevê receita de R$ 88 bilhões e meta de superávit primário de R$ 912 milhões para o ano que vem, conforme anunciou Magalhães, em coletiva de imprensa.

Os secretários garantiram o financiamento de todos os órgãos no mesmo nível de 2014, apesar da contenção de gastos. Os dirigentes também se mostraram confiantes de que o déficit das contas, que é de R$ 3,7 bi, será reduzido e estabilizado nos próximos três anos.  

"Ainda não será possível zerar esse saldo negativo em 2016, esperamos conseguir em 2017", declarou Magalhães. O secretário disse ainda que o governo pretende gerir melhor a folha de pagamento do estado, corrigindo benefícios não autorizados e pagamentos duplicados. "A previsão é que o gasto com a folha seja de R$44 bilhões, R$2 bilhões a mais do que esse ano. Investimentos serão feitos por meio de alocação de crédito", disse.

A LDO/2016 estabelece as metas e prioridades da administração pública estadual, as despesas correntes e de capital para o próximo ano, orienta a elaboração da lei orçamentária para o exercício de 2016 e define a política de aplicação das agências financeiras oficiais, bem como dispõe sobre as alterações na legislação tributária, a administração da dívida e as operações de crédito.

Apesar do cenário de contenção de gastos, está garantido o financiamento de todos os órgãos no mesmo nível de 2014, e a expectativa é a de que o déficit seja reduzido e estabilizado nos próximos três anos. Estima-se para 2016 um crescimento de 7,8 % da receita em relação à LOA de 2015, levando em conta a perspectiva de melhora do nível de atividade de forma mais acelerada a partir do segundo semestre do próximo ano.

Também é positiva a projeção para o ICMS, principal fonte de receita tributária do Estado: estima-se um crescimento 7,8% em relação à LOA 2015, passando de R$ 40,5 bilhões para R$ 43,7 bilhões.

No projeto de lei entregue à Assembleia, o Governo de Minas Gerais reafirma a meta de buscar o equilíbrio das contas públicas, com grande esforço para a contenção da folha de pagamento e para a ampliação de receitas, como as patrimoniais e outras receitas correntes. Com isso, espera-se atingir a redução do déficit e melhorar o cenário fiscal.

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247