Mineirão recebe Selo BH Sustentável 2014

O Mineirão recebeu o prêmio ouro do Selo BH Sustentável 2014, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para reduzir o impacto socioambiental decorrente da Copa do Mundo; o prêmio foi conquistado após serem apresentadas ações para a economia de recursos em três aspectos: água, energia e resíduos; na arena, a reutilização da água coletada da chuva garante a redução de 40% no consumo; a Usina Solar Fotovoltaica instalada na cobertura produz o equivalente ao consumo de 1.200 residências e corresponde a 39% da demanda do estádio; e a coleta, separação e reciclagem de resíduos em dias de jogos e eventos fazem com que 78% dos resíduos deixem de ser destinados para os aterros sanitários

O Mineirão recebeu o prêmio ouro do Selo BH Sustentável 2014, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para reduzir o impacto socioambiental decorrente da Copa do Mundo; o prêmio foi conquistado após serem apresentadas ações para a economia de recursos em três aspectos: água, energia e resíduos; na arena, a reutilização da água coletada da chuva garante a redução de 40% no consumo; a Usina Solar Fotovoltaica instalada na cobertura produz o equivalente ao consumo de 1.200 residências e corresponde a 39% da demanda do estádio; e a coleta, separação e reciclagem de resíduos em dias de jogos e eventos fazem com que 78% dos resíduos deixem de ser destinados para os aterros sanitários
O Mineirão recebeu o prêmio ouro do Selo BH Sustentável 2014, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para reduzir o impacto socioambiental decorrente da Copa do Mundo; o prêmio foi conquistado após serem apresentadas ações para a economia de recursos em três aspectos: água, energia e resíduos; na arena, a reutilização da água coletada da chuva garante a redução de 40% no consumo; a Usina Solar Fotovoltaica instalada na cobertura produz o equivalente ao consumo de 1.200 residências e corresponde a 39% da demanda do estádio; e a coleta, separação e reciclagem de resíduos em dias de jogos e eventos fazem com que 78% dos resíduos deixem de ser destinados para os aterros sanitários (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Minas - O Mineirão recebeu, na última semana, o prêmio ouro do Selo BH Sustentável 2014, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para reduzir o impacto socioambiental decorrente da Copa do Mundo de 2014.

A certificação atribuiu ao estádio a classificação "Ouro", após serem apresentadas ações para a economia de recursos em três aspectos: água, energia e resíduos. Na arena, a reutilização da água coletada da chuva em vasos sanitários, mictórios e irrigação do gramado garante a redução de 40% no consumo de água. Já Usina Solar Fotovoltaica instalada na cobertura produz o equivalente ao consumo de 1.200 residências e corresponde a 39% da demanda do estádio. E a coleta, separação e reciclagem de resíduos em dias de jogos e eventos fazem com que 78% dos resíduos deixem de ser destinados para os aterros sanitários.

O selo é mais um reconhecimento do planejamento promovido pela concessionária Minas Arena e o Governo do Estado de Minas Gerais, que diz respeito à sustentabilidade ambiental do estádio. O BH Sustentável foi criado pela prefeitura como parte da política da FIFA de reconhecer empreendimentos que realizam ações capazes de reduzir o impacto no meio ambiente em cidades que receberam jogos do Mundial.

Sustentabilidade reconhecida

Em julho deste ano, o Mineirão já havia se tornado o primeiro estádio brasileiro e o segundo do mundo a conquistar o selo Platinum, categoria máxima de certificação ambiental Leedership in Energy and Environmental Design (LEED), da Green Building Council Institute (GBCI). A premiação também foi resultado das ações ambientalmente sustentáveis implementadas desde o início das obras de modernização da nova arena, em janeiro de 2010.

"A conquista da certificação é fruto de um trabalho rigoroso desenvolvido desde o momento da concepção do novo estádio, em que responsabilidades ambiental, social e financeira foram devidamente planejadas e, agora, reconhecidas", destacou, à época, o secretário de Estado de Turismo e Esportes de Minas Gerais (Setes), Tiago Lacerda.

O estádio conquistou 81 dos 110 pontos concedidos para a concessão do selo máximo e se destacou em quesitos como Eficiência da Água (atendendo 10 dos 10 requisitos apontados) e Energia e Atmosfera (completando 32 dos 35 requisitos).

Várias ações de sustentabilidade adotadas na reforma e operação do novo Mineirão destacaram-se neste processo. Uma delas foi a lavagem dos pneus dos veículos que transitaram pelo canteiro de obras para diminuir sujeira e poeira nas vias públicas. A água usada nesta ação foi captada por calhas e destinada para um sistema de tratamento, sendo tratada e bombeada para uma caixa d´água, voltando a abastecer o sistema de lavagem. A prática gerou economia de 18 mil litros de água por dia e cerca de R$ 500 mil.

Outro exemplo foi o reaproveitamento de 90% dos resíduos gerados com a obra de reforma do estádio, como o concreto, a terra e a sucata metálica. Cerca de 55 mil cadeiras antigas foram doadas a outros espaços esportivos. O reservatório com capacidade para 5 milhões de litros de água de chuva também é um destaque. A água captada é reutilizada em serviços de manutenção, como irrigação do campo e mictórios.

"Uma das nossas maiores preocupações sempre foi o compromisso com o meio ambiente, então fazemos tudo voltado para a eficiência energética e não poluidora. O novo Mineirão foi todo pensado em cima da consciência ambiental", comemora Otávio Góes, gerente de tecnologia da concessionária Minas Arena, responsável pela administração do estádio.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247