Ministro, amigos e atletas lamentam morte de Félix

"A grande família do esporte e do futebol está de luto", escreveu Aldo Rebelo, do Esporte; Ronaldo Fenômeno e o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, também lamentaram a perda do ex-goleiro

Ministro, amigos e atletas lamentam morte de Félix
Ministro, amigos e atletas lamentam morte de Félix (Foto: Rudy Trindade 17.jun.2006/Folhapress)

247– Após a confirmação da morte do ex-goleiro Félix, amigos, companheiros de clube, Fluminense e Portuguesa, e da seleção brasileira prestaram homenagens ao ex-atleta paulista. Nas mensagens, foi destacado o quanto Félix foi importante para o esporte no Brasil, na seleção de 1970 – quando ajudou o Brasil a levantar a terceira taça da Copa do Mundo – além de lamentarem sua morte, ocorrida nesta sexta-feira, em São Paulo.

Por meio de nota, o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, destacou que o ex-atleta deve servir de inspiração. "A grande família do esporte e do futebol está de luto. A perda do goleiro Félix Mielli Venerando inscreve definitivamente este grande jogador da seleção brasileira, da Portuguesa e do Fluminense na história do país.

O ministro afirmou também que Félix era de uma geração que os jovens de hoje devem ter como exemplo e orgulho nacional e que sua memória embale também as futuras gerações. Rebelo expressou sentimentos à família do ex-jogador em nome do Ministério do Esporte.

"Meus sentimentos à família deste que foi um grande goleiro!", escreveu o ex-jogador e hoje empresário Ronaldo Fênomeno, em seu perfil no Twitter.

O ex-volante Clodoaldo, colega de Félix no Brasil da Copa de 1970, também descreveu sua tristeza, definindo Félix como "um ótimo companheiro". "Acima de tudo, Félix era um ótimo companheiro na seleção brasileira. Estou muito triste com tudo isso. Meus pêsames à família".

"É muito triste, chato, quando se perde uma pessoa amiga, companheira. Soube há pouco que ele não estava bem de saúde", escreveu Carlos Alberto Torres, capitão da seleção de 70.

A Portuguesa, clube em que Félix atuou como arqueiro por duas vezes – entre 1955 e 1957 e entre 1961 e 1968 – divulgou uma nota de pesar. A diretoria do clube disse estar "triste com a morte de um dos maiores atletas de sua história". O clube também definiu Félix como "um dos maiores goleiros da história da Lusa".

O Presidente do Fluminense, Peter Siemsen, afirmou que o clube perde um de seus maiores ídolos. Félix atuou no clube entre 1968 e 1976, tendo conquistado a Taça de Prata pelo clube em 1970. "O primeiro jogo que vi do Fluminense foi com o Félix no gol. O clube perde um de seus maiores ídolos, goleiro que foi referência para muitas gerações de torcedores", disse Siemsen.

Félix morreu nesta sexta-feira, às 7h, em decorrência de uma enfizema e várias paradas cardiorrespiratórias. Ele estava internado no Hospital Vittoria, no Jardim Anália Franco, na zona leste de São Paulo, e tinha 75 anos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247