Ministro da Integração vai religar bombas da transposição, inauguradas há um ano por Dilma

Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho irá participar da cerimônia de religamento do bombeamento do eixo norte do projeto de Transposição do rio São Francisco, entre Pernambuco e Ceará; bombas, que foram inauguradas pela presidente eleita Dilma Rousseff, foram desligadas pouco após Michel Temer assumir a Presidência em função do envolvimento da construtora Mendes Júnior na Lava Jato; após a paralisação, o governo Temer levou seis meses para abrir uma nova licitação e mas seis para retomar o projeto

Brasília - O ministro da Integração, Helder Barbalho, durante audiência da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) sobre o andamento das obras de interligação das águas do Rio São Francisco. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Integração, Helder Barbalho, durante audiência da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) sobre o andamento das obras de interligação das águas do Rio São Francisco. (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho irá participar da cerimônia de religamento do bombeamento do eixo norte do projeto de Transposição do rio São Francisco, entre Pernambuco e Ceará. As bombas foram desligadas pouco após Michel Temer assumir a Presidência em função do envolvimento da construtora Mendes Júnior paralisar a obra por conta do envolvimento da construtora na Lava Jato.

Após a paralisação, o governo Temer levou seis meses para abrir uma nova licitação, ma suma arenga judicial acabou por atrasar o serviço em mais um semestre, fazendo com que as obras só fossem retomadas no último mês de julho.

Em maio do ano passado, a presidente eleita Dilma Rousseff foi ao Sertão de Pernambuco, pouco antes de ser afastada por meio do impeachment, para inaugurar a estação de bombeamento em Terra Nova, cidade vizinha ao município de Cabrobó.

Ao todo, o eixo norte – que é o maior da transposição – está orçado em R$ 516,8 milhões. A primeira ordem de serviço, no valor de R$ 132 milhões, foi assinada em julho deste ano pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quando estava como presidente em exercício. A Obra tem previsão para ser entregue no início de 2018.

A transposição, cujo projeto foi iniciado no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, vem sendo alvo de uma disputa pela paternidade da obra. Visando aumentar o índice de popularidade na Região, Temer visitou o projeto três vezes no espaço de apenas três meses.

Até o pré-candidato do PSDB à Presidência, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, tentou tirar proveito do empreendimento emprestando bombas que viabilizaram a entrega do Eixo Leste da transposição, fazendo o mesmo com as bombas do Eixo Norte.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247